As frases que você ouve a cada instante são retiradas de relatos de mulheres estupradas. Gravadas por outras vozes, para preservar a maioria das vítimas, que não quis se identificar, mas são relatos reais. E não, você não tem como interrompê-las. Assim como as vítimas não podem interromper os estupros.


O projeto O Silêncio das Inocentes existe porque o silêncio não é só das inocentes, é de todos nós. Portanto, ele não é para ouvir (apenas) as vítimas, mas para ouvirmos a nós mesmos.

O projeto O Silêncio das Inocentes existe porque é preciso quebrá-lo. Porque é preciso mostrar onde estão as vítimas invisíveis, conhecer suas histórias e entender por que elas, normalmente, mantêm esse silêncio. É preciso escancararmos o que acontece depois do estupro. É preciso saber e investigar como funciona o atendimento a essas vítimas. É preciso entender por que os processos envolvendo estupradores demoram tanto a caminhar na Justiça. E é interessante saber como vivem na cadeia os que, de fato, chegam a ser condenados.

O projeto O Silêncio das Inocentes existe porque precisamos refletir sobre o que é um estupro. Porque precisamos nos questionar se já fomos estuprad@s — e há uma enquete onde você pode responder isso. E, nela, o "não" não é opção — porque precisamos ao menos parar e pensar antes de negar.

O projeto O Silêncio das Inocentes existe porque o debate é necessário, urgente e importante. Em um momento em que o Brasil debate questões como o projeto de lei nº 5.069/2013 (que tramita na Câmara de Deputados e dificulta o aborto em casos de estupro) e que assiste a crimes estarrecedores, como o estupro coletivo em Castelo do Piauí (PI), não podíamos mais nos calar também.

O projeto O Silêncio das Inocentes existe porque precisamos falar de estupro.

O projeto O Silêncio das Inocentes existe para provocar. As frases que você ouve aqui a cada instante são retiradas de relatos de mulheres estupradas. Gravadas por outras vozes, para preservar a maioria das vítimas, que não quis se identificar, mas são relatos reais. E não, você não tem como interrompê-las. Assim como as vítimas não podem interromper os estupros.

O projeto O Silêncio das Inocentes existe porque o estupro precisa nos incomodar.

O projeto O Silêncio das Inocentes é lilás porque a violência, o poder, a vitimização, o sofrimento não podem ser nem dos homens azuis nem das mulheres rosas. O projeto O Silêncio das Inocentes é lilás porque lilás é o mundo onde queremos viver.
Na foto, de baixo para cima, da esquerda para a direita:

Sentados: Thais Borges, Alexandre Lyrio, Clarissa Pacheco.
De pé: Laura Fernandes, Juan Torres, Doris Miranda, Marília Moreira, Thiago Freire,
Rodrigo Cavalcanti, Fabio Gois, Luana Amaral, Amanda Palma.
Ao fundo: Almiro Lopes, Marina Silva, Sora Maia, Evandro Veiga, Wladmir Pinheiro