Abril teve criação de 59 mil vagas, melhor resultado desde 2014

empregos
17.05.2017, 06:40:00
Atualizado: 17.05.2017, 06:54:56

Abril teve criação de 59 mil vagas, melhor resultado desde 2014

Na comparação com abril do ano passado, o mercado de trabalho tinha registrado a perda de 62.844 postos de trabalho

O Brasil voltou a criar vagas com carteira assinada no mês de abril. Foram 59.856 mil postos de trabalho formal no último mês, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho. É o primeiro resultado positivo para abril desde 2014.

O número é resultado de 1.141.850 admissões e 1.081.994 desligamentos. Em março deste ano, o mercado havia perdido 63.624 vagas, revertendo a melhora de fevereiro, quando o saldo havia sido positivo pela primeira vez em 22 meses, com a criação de 35,7 mil postos de emprego formal.

Bahia gera 7.192 empregos de carteira assinada em abril

Na comparação com abril do ano passado, o mercado de trabalho tinha registrado a perda de 62.844 postos de trabalho. “Estamos tendo a alegria de celebrar números positivos. Esperamos que esses números positivos se estabeleçam”, comemorou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

EXPLICAÇÕES
A notícia de que o país voltou a criar empregos em abril ocorre num momento em que dados apontam para um possível início de recuperação da economia brasileira.

Para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, dados como os do Caged e outros relativos ao primeiro trimestre deste ano mostram que “o Brasil já está em trajetória sólida de crescimento importante”. “O Brasil já começa a reagir. Ainda vivemos os efeitos de uma recessão muito grande. Mas, apesar do desemprego ainda muito elevado, a boa notícia é que o país começou a crescer e o emprego começou a reagir”, disse o ministro a jornalistas após um encontro com empresários em Nova Lima (MG).

Meirelles citou, além do mercado de trabalho, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), divulgado na segunda-feira (15). O indicador mostrou crescimento de 1,12% da economia no primeiro trimestre.

“A inflação, que até um ano atrás era próxima de 10%, agora fechou abril em 4,08%. Isso faz com que o poder de compra das pessoas aumente”, acrescentou.

O ministro também citou a safra agrícola recorde deste ano. Segundo ele, esse resultado da safra também foi fruto de investimentos em tecnologia a produtividade por parte do setor. “Estamos em trajetória de crescimento sólido e esse crescimento agora é sustentado porque está
sendo fundamentado”.

Meirelles observou ainda que os resultados medidos no mercado financeiro são impressionantes, como o risco Brasil e o comportamento do câmbio, com a queda do dólar. Também chamou a atenção para a melhora de perspectivas por parte de agências de ratings. “Podem se arriscar mais porque o Brasil está no caminho certo”, finalizou.

SETORES
O setor de serviços foi o que registrou melhor resultado em abril deste ano, com um saldo de 24.712 contratações. O resultado foi puxado por serviços médicos e odontológicos, transportes e comunicações e ensino. Em segundo lugar, vem a agropecuária, com 14,6 mil vagas criadas, principalmente nos cultivos de cana de açúcar e café. Em seguida, aparecem os setores da indústria de transformação (13.689) e comércio (5.327).

Embora tenha apresentado saldo negativo (-1.760 postos de trabalho), a construção civil teve um desempenho melhor que o de abril do ano passado (-16.036 vagas).