Afro Fashion Day realiza seletiva de bairro em Cajazeiras

bazar
04.10.2017, 21:28:00
Atualizado: 04.10.2017, 21:33:38
Seletiva de bairro do AFro Fashio Day em Cajazeiras atraiu 60 jovens que sonham em ser modelos (Foto: Angeluci Figueiredo)

Afro Fashion Day realiza seletiva de bairro em Cajazeiras

Cerca de 60 pessoas concorreram a vagas na final do concurso

Cerca de 60 pessoas participaram na tarde desta quarta-feira (4) da seletiva de bairros de modelos para o Afro Fashion Day, que esse ano, acontece no dia 18 de novembro. Os aspirantes a desfilarem na passarela do evento foram até o Shopping Cajazeiras, que fica no bairro que é um dos maiores de Salvador, para tentar uma vaga.

A estudante Chayanne Britto, de 17 anos, venceu o nervosismo para tentar desfilar na concorrida passarela do AFD. Vinda de Fazenda Coutos 3, ela nem esperou a seletiva chegar ao Subúrbio Ferroviário (que vai acontecer na próxima terça-feira, dia 10). “Assisti à última edição e acho muito importante esse evento pela grande visibilidade que dá a gente”, revela a estudante, que está concluindo o Ensino Médio. Chayanne, apesar de jovem, já chega à competição com a vantagem de ter ganhado o concurso Black Atitude em 2016. “Eu amo desfilar e isso foi maravilhoso para minha autoestima”, conta a adolescente que tem manequim 48 e desbancou meninas com manequim 36 e 38 no concurso. 

Leilane Paim, 16 anos, Chayanne Britto, 17 e Ingrid Neves, 21, foram à seletiva; as duas primeiras levaram prêmios de beleza no currículo, a última participa de um curso de dança, teatro e moda (Foto: Angeluci Figueiredo/CORREIO)

Quem também foi disputar uma vaga no AFD e chegou cheia de prêmios foi a estudante Leilane Paim, de 16 anos. Moradora de Cajazeiras V, ela coleciona os títulos de garota Ranço Negro de 2015, Garota Shopping Cajazeiras em 2016 e de Miss do Gueto, 2017. Desde 2014 a adolescente participa de concursos de beleza, principalmente no bairro em que vive. “Quando via pessoas desfilando eu tinha muita vontade de ser igual e comecei a investir”, diz. Ela conta que soube das seletivas pelo jornal e pelas redes sociais (@afdcorreio). “Meus amigos começaram a me marcar e mandar direct para mim, sugerindo que eu me inscrevesse”, revela.

Já Ingrid Neves, de 21 anos, é iniciante quando o assunto é moda. Moradora do Cabula, ela faz um curso de moda, dança e teatro na Focus Moda, projeto que ajuda cerca de 120 jovens a se inserirem nesse nada fácil mundo. “Tem um ano que eu faço o curso, as pessoas me falaram que eu tinha perfil e eu fui”, conta a estudante, que se prepara para prestar vestibular esse ano. Ela diz que o curso a ajudou a driblar a timidez.

Com 25 anos, o dançarino Jean Tsunami também tentou uma vaga para desfilar no AFD 2017. “Relacionado à dança, sempre rolam trabalhos fotográficos, mas passarela eu nunca fui”, conta o candidato. Sobre a possibilidade de estar em um dos maiores desfiles com público exclusivamente negro no mundo, ele confessa: “acho muito interessante, é uma importante forma de celebrar a cultura negra”.

Jonas Bueno é coordenador de um projeto que tem a intenção de inserir jovens no mundo da moda, dança, teatro, música e maquiagem, o Focus Moda (Foto: Angeluci Figueiredo/CORREIO) 

Ajudinha de quem já conhece
A seletiva contou também com a participação de quem já participa do mundo da moda há anos, como o modelo, ator e dançarino Jonas Bueno, de 24 anos, que coordena o projeto Focus Moda, no Centro Cultural Plataforma. Lá, os 120 alunos aprendem noções de moda, dança, teatro, música, maquiagem. “É uma forma de ajudar essa galera que, muitas vezes, não têm como fazer cursos e entrar em agências”, conta. Ele levou 20 dos “seus meninos e meninas” para participar da seletiva, junto com ele. “Além da vontade de participar é uma forma de motivá-los”, comenta. 

Uma delas é Taine Morais, de 17 anos, que foi uma das primeiras integrantes da Focus, há três anos. Moradora de Fazenda Coutos, ela conta que achou positiva a ideia de fazer as seletivas nos bairros da cidade. “É importante para dar visibilidade às pessoas da periferia”, relata. 

Oportunidade
No júri estavam a analista de marketing do CORREIO Gabriela Souza, a curadora do evento Gabriela Cruz e o coordenador da agência One Models Pepê Santos. Para este último, as seletivas é uma boa oportunidade de revelar rostos ainda desconhecidos. “A gente olha a pessoa e reconhece alguém que pode trabalhar a longo prazo”, conta Pepê. Ele lembra que Salvador é uma cidade muito rica para o mercado. “A gente tem opções boas de modelos, conseguimos mandar para outros lugares do Brasil e para o mundo”, explica, citando Naiara Arcuri (@iamnaiaraarcuri), modelo baiana que está em trabalhos na Ásia.

Para o marketing do Shopping Cajazeiras, abrir as portas para a realização da seletiva tem uma importância fundamental. “A gente acredita que o evento Afro Fashion Day, que promove a beleza e a força da nossa cidade, deve ser sempre abraçado e apoiado. Nesse momento de crescimento que estamos vivendo com a chegada de novas operações importantes como Santander, Farmácias Pague Menos  e Hinode, um evento como esse reforça nossa estratégia de ser um polo de lazer, cultura e serviços do bairro”, aponta Lucas Cohn.

AFRO
Nesta quinta (5), às 15h, o AFD promove um bate-papo no Instituto ACM (Pelourinho) quee terá como convidados Jorge Maxwell, que vai tratar de gestão e finanças para empresas de moda, e Mauro Braga, que vai falar sobre a importância do conceito estético para a produção de projetos. Para participar é só mandar um email para gabriela.souza@redebahia.com.br.  

O evento foi um dos vencedores do The Global Media Awards, prêmio anual da Associação Internacional de Mídias Noticiosas (INMA), concurso que premia as melhores publicidades de mídias do mundo. O AFD ganhou medalha de prata na categoria Melhor Uso de um Evento para Construir uma Grife de Notícias.  O Afro Fashion Day é um projeto do CORREIO e tem apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador.