'Alguns temas vão incomodar, mas a gente vai falar deles', diz Fernanda Lima

TV
19.03.2017, 13:43:00
Atualizado: 19.03.2017, 13:44:17

'Alguns temas vão incomodar, mas a gente vai falar deles', diz Fernanda Lima

Apresentadora do programa Amor & Sexo quer tocar em algumas 'feridas'
Foto: Fivulgação/TV Globo

Semanalmente, Fernanda Lima levanta algum tema ligado ao atual momento da sociedade brasileira no programa Amor & Sexo, exibido toda quinta-feira, por volta de 23 horas, na Globo. Segundo a apresentadora, a "missão" desta nova temporada é se aprofundar nos assuntos e tocar em algumas "feridas". "Não temosT a intenção de fazer graça o tempo todo. Até porque a situação atual não é engraçada. Alguns temas vão incomodar, mas a gente vai falar deles", ressalta Fernanda. 

Na entrevista a seguir, a gaúcha de 39 anos fala sobre a volta da atração e a possibilidade de novas temporadas; a aprovação do público e sua participação nas escolhas dos temas. Além disso, a apresentadora conta sobre a importância das músicas para costurar as informações apresentadas com a temática do dia.

A temporada passada do Amor & Sexo seria a última. Por que mudaram de ideia?
O público pediu e a gente não aguentou. Na verdade, percebemos que, mesmo que os temas se repitam, ainda tem muita coisa para falar. Posso dizer que a gente tem se aprofundado mais nos assuntos, sem nunca deixar de se divertir. Se eu conseguir tocar o coração de uma pessoa, mudar a estrutura de uma família que seja, já é maravilhoso. O Amor & Sexo é um programa que mexe com famílias inteiras.

Como é para você ver a repercussão do programa?
A cada temporada eu acho que vai ser melhor, que vai ter um aprimoramento da gente como equipe. Estou muito satisfeita com essa temporada, muito feliz com o que a gente conseguiu, com as músicas costurando todo o programa e poder falar, mais uma vez, de assuntos que consideramos muito relevantes e, por incrível que pareça, a cada ano, surgem mais temas que precisam ser debatidos.

Como é o processo de pensar a temática de cada programa?
Em junho já estávamos pensando na temática, no que a gente queria falar e como abordaríamos os assuntos. Durante três meses nos dedicamos à elaboração de ideias e roteiro. Fazer parte de um roteiro é um drama (risos). Somos cinco cabeças pensando parecido e vamos buscando referências e pesquisando, remoendo os temas. Nos meses finais, antes da gravação, eu faço as aulas de canto, de balé, de reforço para a coluna e todas as preparações corporais possíveis. É quase uma preparação de atleta, para poder começar a ensaiar as coreografias, colocar voz nas músicas, etc. Aí começamos também a fechar os programas, de fato, fazendo com que 50 páginas virem 20, por exemplo.

Essa temporada está tão musical quanto a última. Qual a importância da música no contexto final do programa?
A música é fundamental, dá a cara do Amor & Sexo. A gente acredita que a música costura muito bem o programa. Temos o compromisso de aliar informação e música.

Além de divertido, o Amor & Sexo propõe momentos de reflexão, como ao falar sobre feminismo, machismo etc. Que mensagens vocês querem passar ao abordar esses temas?
A gente não tem como fingir que as coisas não estão acontecendo. Não temos a intenção de fazer graça o tempo todo. Até porque a situação atual não é engraçada. Alguns temas vão incomodar, mas a gente vai falar deles. O importante é pontuar as coisas com amor. Estamos colocando o amor na enfermaria e tentando entender por que as pessoas têm tanto medo de se entregar.

Já estão previstas novas temporadas? Quais são seus próximos projetos?
Isso só o tempo vai dizer. Há alguns projetos em vista, mas também não posso falar nada por enquanto.