Ativista social Monique Evelle faz palestra gratuita para jovens em salvador; veja como participar

salvador
10.06.2017, 10:43:00
Atualizado: 10.06.2017, 10:43:13

Ativista social Monique Evelle faz palestra gratuita para jovens em salvador; veja como participar

Monique Evelle é uma das principais expoentes nacionais do chamado empreendedorismo social do Brasil

Mulher, negra e da periferia. A ativista social baiana Monique Evelle, 22 anos, sabe bem o que é enfrentar barreiras no Brasil. Se, para lidar com a própria autoestima, ela contava com o carinho e estímulos da mãe, sozinha, ela foi descobrindo como vencer os obstáculos e fazer o seu próprio caminho.

Tão jovem, Monique Evelle é uma das principais expoentes nacionais do chamado empreendedorismo social, vertente que trata de projeto lucrativo e que tenha impacto social. Na próxima segunda-feira (12), a ativista que vem do Nordeste de Amaralina vai ter um encontro com cerca de cem jovens atendidos pelo Parque Social, voltado para o empreendedorismo.

Foto: Divulgação 


“Quando eu entrei nessa área de empreendedorismo, ninguém nunca me falou que empreender é se virar. Se virar para fazer algo artesanalmente porque você gosta e sabe. Trabalhar mais de 18 horas, não ter tempo nem para vida pessoal”, resumiu Monique, em uma palestra no TEDx Talks São Paulo, evento para compartilhamento de ideias.

Criadora do Desabafo Social, organização que trabalha com comunicação e educação para os direitos humanos, com ramificações em 13 estados brasileiros, a soteropolitana mostra que é possível uma pessoa jovem ser agente de mudança do seu próprio destino e colocar em prática suas ideias. como chegar lá. Mas o caminho não é fácil, como é possível entender pela trajetória de Monique. Por isso, oferecer orientação para que os jovens levem à frente as suas próprias iniciativas virou uma de suas missões. Tudo começou com os inúmeros pedidos para que ensinasse “como chegar lá”.

O que era apenas uma conversa de amigos, virou mais um braço do Desabafo Social. Nascia aí o projeto Inventividades, que já rodou dez áreas de Salvador ajudando jovens da periferia que têm ideias para desenvolver seu próprio negócio a realizar o sonho. Ela passa o mesmo conhecimento através de parcerias com empresas privadas e organizações do terceiro setor, como a que fará na segunda com o Parque Social.

Do começo ao fim Monique divide com os jovens um pouco da própria história, de estudante e moradora do Nordeste de Amaralina cheia de sonhos, a sócia de três empresas. Recentemente, ela ainda passou a integrar a equipe do programa Profissão Repórter, da Rede Globo.

“Separei algumas ferramentas focadas em negócio e marketing. Tento muito mostrar o caminho e das pedras”, conta. Ela acredita que, contando às pessoas a sua experiência, pode ajudá-las a vencer obstáculos do empreendedorismo. Por ser ativista social, ela conta que demorou para perceber que melhorar a vida do próximo também poderia ser uma consequência de um negócio lucrativo.

“Depois que surgiu a Kumasi (marketing place para empreendedores negros), eu entendi que preto e dinheiro não são palavras rivais”, falou, sobre sua iniciativa definitiva no empreendedorismo social. Daí surgiu a sua última iniciativa na área: a Evelle Consultoria, que presta consultoria em diversidade e igualdade para empresas. “Muito de ocupar espaços é entender que nós não somos apenas beneficiários da política. Mas também podemos influenciar nas decisões. (É) quando a gente começa a mudar a lógica e querer sentar na mesa e também mudar o rumo das coisas”, fala.

Parque Social apresenta balanço

Na próxima segunda-feira, às 8h30, a diretora presidente do Parque Social, Rosário Magalhães, apresenta aos parceiros da instituição um balanço das ações e resultados desenvolvidos  nos últimos quatro anos. É nessa mesma ocasião que Monique Evelle fará  palestra para jovens selecionados pela instituição.

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), estará no evento   Jornada Transformadora – Desafios, Conquistas e Novos Horizontes, na sede da instituição - no Parque da Cidade, no Itaigara -, onde serão apresentados depoimentos de quem já foi beneficiado pelo Parque Social.

“A gente vai mostrar nossos resultados, através de depoimentos das pessoas que foram beneficiadas. Falar um pouco da nossa trajetória, da nossa atuação disponibilizando conhecimentos, atuando numa perspectiva inovadora e transformadora”, adianta Rosário Magalhães.

Apesar dos quatro anos de atuação, quase 80 mil pessoas atendidas e 17 projetos em curso, a gestora acredita que ainda há muito mais o que fazer: “Tem muitas perspectivas novas para acontecer, a gente quer buscar se fortalecer dentro do nosso foco e levar cada vez mais nossos projetos para as comunidades”.

Para participar dos projetos é preciso se cadastrar no site (www.parquesocial.org.br).