Basquete 3x3 entra no programa olímpico

Olimpíada
09.06.2017, 16:06:00
Atualizado: 09.06.2017, 16:07:13

Basquete 3x3 entra no programa olímpico

Entre as novidades divulgadas pelo COI estão também alterações em outras modalidades, ampliando a disputa de provas femininas e de competições mistas

Além da inclusão de escalada, surfe, skate, caratê, beisebol e softbol, já anunciadas previamente, o Comitê Olímpico Internacional (COI) definiu nesta sexta a entrada do basquete 3x3 no programa.

Embora seja uma modalidade ainda engatinhando e de pouco apelo mundial, a inclusão do basquete 3x3 tem a intenção de dar um tom "jovem e urbano" aos Jogos, conforme informou o COI. Por este mesmo motivo, a entidade decidiu também pela entrada da prova de estilo livre do ciclismo BMX, que participará de uma Olimpíada pela primeira vez em 2020.

Para o basquete 3x3 serão oito países na chave de cada gênero e 64 atletas na disputa, entre homens e mulheres. Mesmo com a inclusão de novas provas, porém, a Olimpíada de Tóquio terá 10.616 atletas em 28 modalidades diferentes, 285 a menos do que no Rio, com as provas de atletismo perdendo 105 lugares e o levantamento de peso, 64.

Basquete 3x3 entra no programa olímpico em Tóquio-2020 (Foto: NBA Brasil)

A natação sofrerá um corte de 22 atletas, apesar da inclusão de três provas na modalidade: 800m livre masculino, 1500m livre feminino e revezamento 4x100m livre misto (homens e mulheres). O atletismo também terá a inclusão de uma prova, o revezamento 4x100m misto, assim como o judô, com a disputa de equipes mistas.

Em modalidades que tinham mais eventos masculinos que femininos (caso do boxe, canoagem, levantamento de peso e tiro), disputas masculinas foram retiradas e/ou provas femininas foram incluídas para equiparar os gêneros. "Estou muito feliz que a Olimpíada passará a ser mais jovem, mais urbana e incluirá mais mulheres", declarou o presidente do COI, Thomas Bach.

Como lidar com a redução de atletas em meio ao aumento no número de provas nos Jogos será algo que o COI terá de considerar nos próximos meses. "Acreditamos que o número de atletas é gerenciável dentro do esporte, enquanto prometemos manter a universalidade", declarou o diretor esportivo da entidade, Kit McConnell.