Candidato a soldado morre após passar mal durante testes físicos da PM

Candidato a soldado morre após passar mal durante testes físicos da PM

O candidato deu entrada na UPA já com os sinais vitais recuperados, informa a PM

Um candidato a soldado morreu depois de passar mal durante um teste físico na tarde desta quarta-feira (22) na Vila Policial Militar do Bonfim. Segundo a Polícia Militar, Egberto Oliveira de Jesus chegou a desmaiar por volta de meio dia quando fazia o Teste de Aptidão Física (TAF).

O candidato recebeu atendimento da equipe médica do Departamento de Saúde da PM, que acompanhava os testes. Uma UTI móvel que estava de prontidão o conduziu até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Roma. O candidato deu entrada já com os sinais vitais recuperados, informa ainda a PM.

Por volta das 17h, o candidato faleceu. Em nota, a PM diz que "lamenta profundamente o ocorrido e se solidariza com os familiares" de Egberto.

Outros casos
Embora ainda não se saiba exatamente o que causou a morte de Egberto, alguns outros casos similares já foram registrados. Em 2012, Adailton Lopes Pessoa morreu depois de passar mal ao tentar repetir o teste físico.

Segundo o major Marcos Nolasco, médico da PM, Adailton passou mal depois de correr 800 metros e uma segunda vez no chuveiro, depois da prova. O candidato foi socorrido pela equipe médica que acompanhava a realização das provas e foi levado para o Hospital São Jorge na noite de ontem. Um dia depois, ele piorou e acabou morrendo.

Em 2010, o candidato o soldado Leandro de Oliveira Queiroz, 26 anos, morreu ao realizar o TAF. Ele teve uma parada cardíaca durante a prova da corrida de 2.400 metros. Ele chegou a ser atendido por uma equipe médica da PM que acompanhava a prova e foi socorrido depois pelo Salvar até o Hospital Geral da Polícia Militar, mas não resistiu.

Em 2014, três PMs morreram depois de passar mal durante um exame físico do Curso de Operações Policiais Especiais (Copes). O soldado Luciano Fiuza, 29 anos, do 12º Batalhão, o soldado Manoel dos Reis Freitas Junior, da 4ª CIPM, e o tenente Joserrise Mesquita de Barros, 30 anos, lotado na Cipe-Cerrado, morreram depois de passar mal na prova.