Com mais renda, federações querem Copa do Nordeste até 2032

e.c. vitória
12.09.2017, 15:42:49
Atualizado: 12.09.2017, 15:53:01
Documento recolheu assinaturas no sorteio do Nordestão (Vitor Villar / CORREIO)

Com mais renda, federações querem Copa do Nordeste até 2032

Atualmente, maior competição regional do país só está garantida até 2022

Passo a passo, e procurando ficar longe dos holofotes, as entidades que compõem a Copa do Nordeste vão se organizando para pedir formalmente à CBF a extensão do regional por pelo menos mais dez anos, até 2032.

Durante o sorteio dos grupos da Copa do Nordeste 2018, realizado na quarta-feira (6), em São Luís, circulou entre os presidentes de federações nordestinas uma lista. A ideia era recolher assinaturas para formalizar a petição pedindo à CBF a extensão do campeonato.

“Quem está fazendo este trabalho é o Miltinho (Milton Dantas, presidente da Federação Sergipana de Futebol). Ele está ouvindo os demais dirigentes estaduais e recolhendo as assinaturas. Acho que logo, logo, teremos a de todos”, disse o vice-presidente da Liga do Nordeste, o potiguar Eduardo Rocha.

O movimento pró-Nordestão começou pelos clubes, em reunião em Salvador no dia 13 de julho – o primeiro encontro da liga após o Sport oficializar a saída do regional. Os presidentes saíram da reunião com uma lista assinada pelos 20 clubes da edição 2018 da Copa do Nordeste, aprovando a extensão.

“Pois é, já temos o aval de todos os clubes fundadores da liga e dos que estão participando com frequência do campeonato (exceto, obviamente, o Sport). Mas como a CBF funciona em regime federalista, ela quer saber antes o posicionamento das federações estaduais”, explicou Rocha.

Mais dinheiro para federações

Também foi na reunião em Salvador que ficou decidida a nova divisão do “bolo” financeiro a partir de 2018. As nove federações estaduais saíram fortalecidas: se antes recebiam 10% da receita líquida dos clubes, agora receberão 13%.

Sendo assim, já que os 20 clubes participantes repartirão R$ 22,5 milhões, as nove federações dividirão 13% disso, ou R$ 2,925 milhões. Serão R$ 325 mil para cada. Para completar, as entidades estaduais receberão 8% do valor da renda dos jogos das equipes federadas a elas.

“Nenhuma federação até agora se opôs à extensão da Copa do Nordeste. Só não sabemos ainda o posicionamento da pernambucana”, disse Eduardo Rocha. O presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, aliado do Sport no boicote, não foi ao sorteio em São Luís.

Atualmente, a maior competição regional do país só está garantida no calendário até 2022, por causa de decisão judicial favorável à Liga do Nordeste contra a CBF e as federações em 2012, que assegura o torneio por dez anos.