'Com o coração despedaçado', diz mãe que perdeu quíntuplos

'Com o coração despedaçado', diz mãe que perdeu quíntuplos

Ela conta ainda que está tomando antidepressivos e pensa em procurar ajuda com um psiquiatra

A vida de Carla Oliveira, 24 anos, tem passado por momentos de desespero e angústia desde que perdeu os cinco filhos que esperava, no último final de semana. Ela ficou grávida de quíntuplos de maneira natural, um caso raríssimo - um a cada 65 milhões. 

Carla entrou em trabalho de parto com apenas 23 semanas de gravidez, antes mesmo de completar seis meses. As crianças não resistiram - duas morreram no sábado e três no domingo. Há cerca de um ano, ela tinha sofrido uma situação parecida, perdendo filhos gêmeos. 

(Foto: Reprodução)

Em depoimento ao Uol, Carla contou como está sendo sua vida após mais uma perda. "Eu estou passando forças para mim mesma, porque se não for assim a gente enlouquece, entra em depressão, se descabela", diz. Segundo Carla, ela foi internada como parte do tratamento clínico, e não para o parto. "Em nenhum momento passou pela minha cabeça e ou pela do médico que eles poderiam vir a nascer tão rápido", diz. Mas na sexta à noite a jovem entrou em trabalho de parto. "Tomei medicação para inibir as contrações, mas chegou uma hora em que não adiantou".

"Os bebês estavam bem, estavam fortinhos, tanto é que alguns deles conseguiram viver mais um dia. A única coisa é que os pulmões ainda não estavam prontos para respirar sozinho", explica. 

Carla lamenta. "É um sentimento de perda, uma tristeza enorme. Ainda mais seguido de outra perda, um ano atrás, e na mesma época de gestação. Na outra gravidez foi com 22 semanas e essa, com 23", relembra. "Estou com o coração despedaçado. Não tem nem explicação. Mas eu tenho muita fé em Deus e acredito que todo mundo tem uma missão aqui na Terra. No dia em que a gente a realiza, morre. Acredito que a missão deles foi realizada".

Ela conta ainda que está tomando antidepressivos e pensa em procurar ajuda com um psiquiatra.