Com quatro representantes, baianos estreiam hoje na Copinha

esportes
03.01.2018, 05:59:00
Atualizado: 03.01.2018, 14:47:14
(Foto: Divulgação/FPF)

Com quatro representantes, baianos estreiam hoje na Copinha

Bahia, Vitória, Teixeira de Freitas e Atlântico são os times baianos na competição

Os torcedores da dupla Ba-Vi que estão saudosos por causa do recesso do calendário vão ganhar um alento. A partir desta quarta-feira (3), a bola rola para os times baianos na Copa São Paulo de Futebol Júnior, a maior competição de base do país.

O tradicional torneio, que começou terça (2), reúne 128 equipes divididas em 32 grupos com atletas até 20 anos - nascidos de 1998 a 2002. Este ano, a Bahia será representada por quatro equipes: Bahia, Vitória, Atlântico e Teixeira de Freitas.

Finalista em 2011, o Bahia vive a expectativa de chegar a outra decisão e, desta vez, levantar o caneco. O tricolor está sediado em Guaratinguetá, a 170 km de São Paulo, e estreia às 15h (horário da Bahia), contra o São Bento. O time ainda encara o Botafogo-PB e o Manthiqueira-SP na primeira fase. 

Os dois melhores colocados de cada grupo avançam para a segunda fase. A partir daí, são confrontos eliminatórios até a final, no dia 25. “A gente espera que o ano de 2018 seja melhor que o de 2017 em relação aos resultados da base, apesar de que, com toda dificuldade, nós do sub-20 tivemos os melhores resultados. Estamos na preparação, tivemos a Copa Nordeste e a Copa RS que serviram de base para a Copa São Paulo e a gente espera fazer uma competição boa, equilibrada”, analisa o técnico Aroldo Moreira.

Felipinho é uma das armas do Bahia na Copinha (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Tricolor tem artilheiro da edição de 2016 e um meia que está em alta na base: Felipinho
Contando com jogadores entre 17 e 20 anos, um dos destaques do time é o meia Felipinho. Ele foi o artilheiro do Bahia na Copa do Nordeste e na Copa RS e é tratado como uma das joias da categoria. “Felipinho é um jogador de muita qualidade, canhoto. Um meia-atacante que joga pelas beiradas, tem muita qualidade e em um futuro próximo a torcida do Bahia vai ouvir falar muito dele”, elogia Aroldo.

Responsável pela armação do time, Felipinho, 19 anos, é considerado um meia promissor e chama a atenção pela qualidade com a perna esquerda e faro de gol. Ele foi artilheiro do Bahia na Copa RS e Copa do Nordeste da categoria. Em 2016, estreou no time profissional ao substituir Edigar Junio em partida contra o Galícia pelo Campeonato Baiano - goleada de 4x0 na Fonte Nova. Já na reta final do ano passado, participou de treinos com Carpegiani, mas não chegou a ser relacionado para jogos. Recentemente, ele renovou contrato até maio de 2019.  O time da Copinha tem ainda o volante Júnior Ramos e o atacante Geovane Itinga, artilheiro da edição de 2016 com oito gols.

Luan é uma das grandes promessas da base rubro-negra (Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

Fábrica de Talentos do Vitória tem nova joia: Luan
Já o Vitória busca uma final inédita da competição. Na primeira fase, o rubro-negro ficará na cidade de Indaiatuba e enfrentará na ordem: Atibaia, Globo-RN e Primavera-SP. A estreia é nesta quarta, às 15h (horário da Bahia), no estádio Ítalo Mário Limongi. Campeão da Copa do Nordeste e do Campeonato Baiano de 2017, o técnico João Burse está confiante em fazer uma boa campanha.

“Na base, é preciso continuidade de trabalho, repetição de processos. É praticamente a mesma equipe que venceu a Copa do Brasil sub-17 em 2015, com alguns atletas das categorias 1999 e 2000. Temos um elenco forte e entrosado para fazer uma boa campanha. Há opções interessantes no plantel, o que é importante, já que hoje são permitidas seis substituições na Copa São Paulo”, explica o treinador rubro-negro.

Entre as joias da equipe, Burse vê no atacante Luan um talento que pode render frutos para o time profissional do Leão. “Luan é um talento do clube. Foi artilheiro, melhor assistente e melhor jogador da Copa do Nordeste sub-20 que conquistamos. Há outros atletas de enorme potencial também, como Hebert (volante). O grupo é muito forte. Estamos trabalhando de forma integrada com Mancini para que essa transição seja feita da melhor forma possível”, diz.

Aos 18 anos, o atacante é uma das principais promessas da “Fábrica de Talentos” do Vitória. O jogador que iniciou na escolinha de futebol do ex-atacante nigeriano Ricky, ídolo do clube na década de 1980, já deu mostras do seu potencial ao ser artilheiro e garçom na Copa do Nordeste sub-20 do ano passado, quando o Leão venceu a final contra o Bahia por 2x0. O centroavante Eron, com passagem por seleções de base, e o lateral-direito Cedric, que jogou duas partidas no profissional em 2017, também estão no time.

O time titular da estreia tem Lucas Willians, Cedric, Rangerson, Lucas Ribeiro e Welisson; Hebert, Farinha e Eduardo; Flávio, Luan e Eron.