Cotado para o lugar de Teori no STF defende a submissão da mulher e é contra o casamento gay

brasil
25.01.2017, 08:57:00
Atualizado: 25.01.2017, 09:23:50

Cotado para o lugar de Teori no STF defende a submissão da mulher e é contra o casamento gay

Presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Martins Filho integra a Opus Dei e se diz celibatário

Cotado para ser um dos escolhidos do presidente Michel Temer para a vaga de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal, o presidente  do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra Martins Filho, acumula polêmicas. Em um artigo assinado no livro 'Tratado de Direito Constitucional' (2012), Martins Filho defende que a mulher tem que ser submissa ao marido e critica a união entre pessoas do mesmo sexo. 

"A mulher deve obedecer e ser submissa ao marido"."O casamento de dois homens ou duas mulheres é tão antinatural quanto uma mulher casar com um cachorro", diz trechos do artigo. "Casais homoafetivos não devem ter os mesmos direitos dos heterossexuais; isso deturpa o conceito de família", continua.

Filho de amigo de Temer, Martins Filho é cotado para a vaga de Teori no STF (Foto: Agência Brasil)

No texto, Martins Filho diz ainda ser contra a decisão do STF de reconhecer a união homoafetiva, a liberação das células-tronco embrionárias para pesquisa e a permissão para destruir embriões humanos em pesquisas.

Filho do advogado Ives Gandra Martins, amigo de Michel Temer há 40 anos, Martins Filho integra a Opus Dei, organização católica ultraconservadora, e diz ser celibatário.

"Por simples impossibilidade natural, ante a ausência de bipolaridade sexual (feminino e masculino), não há que se falar, pois, em casamento entre dois homens ou duas mulheres, como não se pode falar em casamento de uma mulher com seu cachorro ou de um homem com seu cavalo (pode ser qualquer tipo de sociedade ou união, menos matrimonial)", defende no texto.