Diversão e arte dão o tom do Flow Festival, no Trapiche Barnabé

Música
07.07.2017, 16:21:00
Atualizado: 07.07.2017, 16:23:11

Diversão e arte dão o tom do Flow Festival, no Trapiche Barnabé

O som fica por conta de Pedro Pondé, Pali, ÀTTOOXXÁ, DJ Pureza

Boas vibrações, música, arte e gastronomia vão estar juntos na primeira edição do Flow Festival, evento que toma conta do Trapiche Barnabé, amanhã. “O lugar já é um atrativo à parte. Da cenografia à iluminação, tudo vai remeter à Califórnia e aos movimentos ocorridos por lá na década de 70”, explica Bruno Boscolo, produtor e idealizador do Flow.

(Foto: Rafa Ramos/ Divulgação)

A ideia, segundo ele, é ressaltar a vocação praiana e urbana de Salvador, bem próximo à da cidade norte-americana que criou todo um estilo de vida  associado ao surf e ao skate. “Vários movimentos musicais e artísticos surgiram dessa relação e são muito fortes até hoje”, lembra.  

No Flow, o som  fica por conta de Pedro Pondé, ex-vocalista da Scambo, que vai apresentar seu trabalho solo; Pali, trompetista argentina que toca o melhor do groove jamaicano, e do grupo ÀTTOOXXÁ, que vai apresentar um repertório que mistura os mais diferentes gêneros musicais, a partir de bases eletrônicas. O DJ Pureza completa a grade e toca durante um show e outro.

“A ideia é aproveitar desde o final da tarde. São muitas atrações, não só musicais, e o evento pretende reunir os jovens de vinte e poucos anos, mas também os quarentões que vão com seus filhos pequenos e não estão a fim de perder noite”, conta.

Para os “remanescentes”, ele ainda promete um after no final da noite: discotecagem do DJ Mauro Telefunksoul.

Idealizador do Biergarten, outro projeto que tem ocupado o Trapiche regularmente desde 2015, Bruno aposta no sucesso do evento, que vai contar também com exibição de filmes ao ar livre, light painting, pista de skate, feira de impressos, dentre outros.

Serviço: Trapiche Barnabé (Av. Jequitaia, Comércio). Amanhã, às 16h. Ingressos: R$ 30, à venda no local.