Hackathon+Salvador: confira todas as ideias propostas pelas equipes na maratona de inovação

agenda bahia
17.07.2017, 07:26:00
Atualizado: 17.07.2017, 09:58:11

Hackathon+Salvador: confira todas as ideias propostas pelas equipes na maratona de inovação

Divididos em 10 grupos, os 50 selecionados criaram projetos para tentar solucionar os principais problemas do Centro Histórico

O Hackathon+Salvador: Soluções de Impacto Social para o Centro Histórico, que contou com dez times formados por 50 selecionados, encerrou neste domingo (16), após 33 horas de desafio criativo. Os grupos criaram projetos para tentar solucionar os principais problemas do Centro Histórico de Salvador.

Participantes foram divididos em 10 equipes (Foto: Roberto Abreu/CORREIO)

Formado por Matheus Carvalho, 24 anos, Antonio Ladeia (30), Danilo Santos (22), André Luís (44) e Ítalo Hiago (19), o grupo vencedor criou um site batizado de “Viva Pelô”, que se propõe a ir além dos guias turísticos tradicionais. A ideia é transformar artistas e outros representantes da comunidade local em “anfitriões culturais” para guiar o turista a sentir na pele o que é ser um nativo do Centro Histórico.

Confira as ideias premiadas:

A campeã: Viva Pelô

Site para conectar os chamados anfitriões culturais do Centro Histórico de Salvador com os visitantes. Os anfitriões são definidos como ícones da comunidade, são capoeiristas, comerciantes e baianas de acarajé. Eles irão vender, por meio de uma plataforma que permite pacotes turísticos customizáveis, a oportunidade do turista ou morador que não conheça o local, viver a experiência da baianidade autêntica. A ideia é que o visitante não prove só o acarajé, mas também aprenda como é preparado o quitute, da mesma forma que entenda as especificidades dessa comida típica e ritualística. Os criadores da ideia se inspiraram na comunidade local e fizeram visitas de campo aos estabelecimentos para coletar informações com os comerciantes e artistas. O objetivo, segundo a equipe, “é mostrar uma visão diferenciada do Centro Histórico, a partir de quem é originário ou trabalha na região.

2º lugar: Onde é que tá?
Jogo de charadas para celular que integra a visitação de pontos turísticos com consumo no comércio local do Pelourinho.  O game consiste no visitante encontrar QR Codes colocados em prédios e monumentos históricos. Em cada código há uma charada sobre um ponto turístico e para respondê-la a pessoa deve  se dirigir até este segundo local. Conforme vai pontuando, o jogador desbloqueia recompensas que podem ser descontos ou produtos oferecidos pelos estabelecimentos comerciais instalados no Centro Histórico de Salvador. A intenção dos criadores do projeto é aumentar o fluxo de visitantes no Centro Histórico, principalmente do público mais jovem e hiperconectado

3º Lugar: Oh Vey!
Aplicativo para celulares e tablets criado para conectar microempreendedores informais e visitantes do Centro Histórico. Em um menu de opções, o turista pode encontrar baianas para fotos e rodas de capoeira, por exemplo, e agendar o serviço que deseja. O pagamento é feito por meio da plataforma, com o uso de cartão de crédito. Os visitantes podem ainda dar uma nota aos empreendedores, ranqueando os que prestam um melhor serviço. O dispositivo surgiu com o objetivo de diminuir o problema do assédio dos vendedores ambulantes. O projeto envolve ainda a qualificação profissional e a inserção social e digital dos trabalhadores informais que atuam no Centro Histórico de Salvador. 

Outras propostas:

Meu Tour (Turismo)
Aplicativo para telefone celular e tablet, que funciona como um audioguia para quem vai visitar o Centro Histórico. A ferramenta usa dados de geolocalização, recolhidos pelo GPS dos aparelhos móveis, e faz com que a pessoa escute informações sobre o lugar em que está naquele momento, além de sons que remetem ao ambiente cultural do Pelourinho e bairros da vizinhança.

Meu Pelô (Vida empreendedora)
Plataforma de compras coletivas voltada para o Centro Histórico. Nela, o usuário pode encontrar descontos em empreendimentos locais, como restaurantes e estacionamentos. O projeto ainda envolve capacitação dos comerciantes e outros tipos de auxílio a empresários que vendem produtos e serviços no Pelourinho. 

Eu e Tour (Turismo)
A proposta do grupo é a de criar um sistema colaborativo de criação e compartilhamento de roteiros turísticos personalizados, nas categorias Arquitetura, Gastronomia, Religião e Histórico cultural. Os usuários do sistema, além de inserir suas rotas, podem avaliar quais são as melhores.

Agrega Pelô  (Governança)
Trata-se de uma plataforma de comunicação para integrar os atores sociais que não atuam para órgãos  governamentais e que, mesmo assim, fazem parte da vida do Centro Histórico de Salvador. Através do aplicativo, a comunidade local pode criar uma agenda de eventos para atrair visitantes, diminuindo a dependência do poder público.

Localmob (Mobilidade) 
Aplicativo que viabiliza roteiros temáticos dentro do Centro Histórico de Salvador, com foco em acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, mostrando qual a melhor rota para cadeirantes ou idosos, por exemplo. 

Cidade acessível (Mobilidade) 
Aplicativo que mapeia estabelecimentos e roteiros acessíveis no Centro Histórico. O usuário com dificuldade de locomoção recebe no celular o melhor caminho para determinado local, bem como dicas de espaços adaptados. Também gera um selo de acessibilidade para estabelecimentos comerciais adaptados e qualificados para tratar com este tipo de público.

Bora pro Pelô (Cultura)
Plataforma digital que mistura agenda cultural com conteúdo educativo. O usuário pode se informar sobre um determinado evento e ao mesmo tempo receber informações sobre as características históricas e culturais daquele evento e do local onde ele é realizado.

*Com apuração de Carol Aquino