Hormônios & Neurônios

A semana mostrou centenas de estrelas estadunidenses trajadas de preto num Globo de Ouro, como se estivessem num enterro, comentou Danuza Leão, enquanto a francesa Catherine Deneuve, protagonista de La Belle de Jour, Barbarella e Indochine,  liderou um não, não é bem assim. Hormônios e neurônios estão na pauta mundial do planeta. Os neurônios assediam e os hormônios denunciam. A Bahia usa seus hormônios azuis, vermelhos e brancos com intensidade. Os neurônios ela geralmente mantém na nuvem. Os paulistas usam seus neurônios pretos, vermelhos, brancos e azuis o ano inteiro, e quando chega o Verão preferem conviver com os hormônios baianos ou cariocas. O uso excessivo de hormônios do Rio de Janeiro implodiu a cidade.

Eu sempre me pergunto se o poeta Maiakovski se matou por causa dos hormônios de Lilya Brik, sua amante, esposa de seu editor, leitmotiv de alguns dos poemas mais espetaculares do Universo, ou por causa de Lênin, o primeiro russo que chegou ao poder na Rússia (1917) que um dia foi comunista. Espero que tenha sido por causa de Lilya que o enlouquecia de paixão e ciúme. Os poemas hormonais de Maiakovski são muitas vezes superiores aos poemas políticos.

A natureza nos deu hormônios e neurônios e com os hormônios nós podemos fazer prazer e fazer crias. Com os neurônios nós fazemos democracia, arte, filosofia, tecnologia, gastronomia e, se eles forem muito bem usados, nós fazemos prazer. A Bahia já fez o melhor carnaval do planeta com seus hormônios azuis, vermelhos e brancos, e fez, também, artistas e pensadores com seus neurônios revoltos. Mas sempre prioriza os hormônios. A produção dos neurônios de Glauber Rocha - livros anotados, diários, cartazes originais dos filmes e objetos pessoais - acabou de sair do Tempo Glauber, no Rio de Janeiro, para São Paulo. Sem escalas.

Meus neurônios acabaram de me advertir: - Sai do umbigo, criatura! Antes de sair, sugiro à Secult Estadual que está atrás de um nome para o Carnaval do Centro Histórico em substituição a Bossa Nova, Deus e o Diabo na Terra do Sol. Talvez o Chefe dos Secretários da Secult, Rosemberg Pinto, que como Maurício Barbosa está no poder desde 2007, permita. Se ele ainda não assistiu ao filme, eu empresto. Se ele não sabe muito bem quem foi Glauber, eu explico. Glauber Rocha, Rogério Duarte, Luiz Alberto Moniz Bandeira são estoques de neurônios azuis, vermelhos e brancos que a Bahia ignora. Que desperdício!

Todos os humanos recebem a mesma quantidade de hormônios e neurônios. No que o espermatozoide entra no óvulo, geralmente por causa dos hormônios, mas, às vezes, exclusivamente guiado pelos neurônios, acontece essa coisa extraordinária de surgir mais uma máquina de neurônios e hormônios no planeta. Todo mundo chega com um pacote dos dois. A diferença é que os hormônios já vêm prontos pra serem usados e os neurônios precisam de lustre, inclusive para administrar os hormônios. Os hormônios são todos sim e os neurônios são milhares de talvez, de mais ou menos, e de muitos não.

– Dá, criatura! Será? Já no primeiro encontro? Um diálogo básico entre hormônio e neurônio.