Integrantes do Afoxé Filhos de Gandhy roubam a cena no Hemoba

Afoxé Filhos de Gandhy lança campanha de doação de sangue (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Integrantes do Afoxé Filhos de Gandhy roubam a cena no Hemoba

Grupo lançou, neste sábado (12), campanha de doação de sangue que segue até o Carnaval

O cortejo azul e branco do Afoxé Filhos de Gandhy roubou a cena e pegou de surpresa muita gente que estava passando pela Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), na manhã deste sábado (12). Com direito a desfile de fantasias, colares e turbantes, além de música ao vivo, o bloco afro deu início à campanha Filhos de Gandhy Doam Sangue Pela Vida, que segue até a véspera do Carnaval de 2018.

Cerca de 100 integrantes, entre diretores e associados, foram convocados ao hemocentro para participar da ação que pretende envolver os quase dez mil integrantes do grupo, até fevereiro. “Já sou doador, mas sou que nem político: só apareço de quatro em quatro anos (risos). Mas agora não, vou doar a cada seis meses e levar outros colegas. Tenho prazer em ajudar”, garantiu um dos diretores do Gandhy, William Floriano, 45 anos, que integra o grupo há mais de 25 anos.

“Doar sangue é uma coisa muito séria, tem muita gente precisando. Salvar vida é muito bom, né? É bom pra gente, é bom para a entidade, para a nação Gandhy”, justificou o músico Ubirajara Alves de Jesus, 44, que integra o Gandhy há mais de 20 anos e faz parte da diretoria do grupo. “Precisava participar”, reforçou o integrante do bloco.

Integrante da ala de canto do Gandhy, Elcimar Lima, 37, se animou ao ver a solidariedade dos amigos e decidiu doar sangue pela primeira vez. “Me motivei quando vi todo mundo participando, mas não pude doar por causa do peso. O peso mínimo é 50 quilos e eu tenho 49, mas quero atingir a meta para dar minha contribuição também!”, garantiu o rapaz que convive com o Gandhy desde os 3 anos, já que seu pai era diretor de percussão e sua mãe era responsável pela produção de turbantes.

Carnaval
Depois da estreia, a campanha Filhos de Gandhy Doam Sangue Pela Vida vai contar com mais três momentos até o Carnaval. Em outubro, uma unidade móvel do Hemoba vai se reunir com o Gandhy no Terreiro de Jesus, enquanto em dezembro vai contar com a participação de crianças em um local a ser definido. Por fim, em fevereiro, a campanha vai acontecer durante a entrega dos abadás dos Filhos de Gandhy nos pontos do Shopping da Bahia, Salvador Shopping e do Terminal Náutico de Salvador, no Centro.

  • Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba
    Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
  • Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba
    Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
  • Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba
    Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
  • Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba
    Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
  • Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba
    Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
  • Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba
    Associados e diretores do Gandhy doaram sangue no Hemoba (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

“Cerca de dez mil homens se envolvem no período do Carnaval, então vamos incentivar que antes de pegar a fantasia, eles doem sangue ou medula. Nossa expectativa é, por baixo, conseguir duas mil bolsas. É uma campanha muito forte voltada para o social. Não adianta ser só um bloco bonito”, garantiu o diretor de negócios e assessor especial da presidência do Gandhy, Orlando Santos, 49.

Orlando conta que teve a ideia de criar a campanha depois de ver uma unidade do Hemoba na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. “Vi a importância da ação, vi que as pessoas estão precisando de sangue e pensei: por que o Gandhy – uma entidade que tem quase dez mil homens – não faz o mesmo? Conversei com o presidente, ele topou, e iniciamos a campanha”, explicou.

Coordenadora do setor de captação de doadores do Hemoba, Iara Matos, 40, destacou que a campanha é fundamental, principalmente no Carnaval quando os estoques estão baixos e a demanda é maior. “É importante alertar a população sobre a importância da doação de sangue. Hoje tivemos uma manhã muito calorosa e importante para o hemocentro. O Gandhy representa a paz e o principal objetivo do Hemoba é dar continuidade a esta ação. Que a doação de sangue passe a perpetuar culturalmente em toda a população”, comemorou Iara.

Quem pode doar?
Os interessados em doar sangue precisam seguir alguns critérios básicos, como estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar acima de 50 quilos e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial e válido em todo o território nacional. Menores de 18 anos devem estar acompanhados por um responsável legal e pessoas com mais de 60 anos só poderão doar caso já tenham realizado uma doação antes de completar esta idade.

Homens podem doar até quatro vezes a cada 12 meses, com intervalo mínimo de 60 dias entre as doações. Já as mulheres podem doar até três vezes a cada 12 meses, com intervalo mínimo de 90 dias entre as doações. O Hemoba funciona de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30, e aos sábados das 7h30 às 12h30. As recomendações para o dia da doação, assim como outras informações, estão disponíveis no site hemoba.ba.gov.br.