Internautas começam a traduzir escritos de jovem desaparecido no Acre; leia

Internautas começam a traduzir escritos de jovem desaparecido no Acre; leia

Para polícia, conteúdo dos escritos não é essencial para investigação. Bruno está sumido desde março

O desaparecimento de Bruno de Melo Silva Borges, 24 anos, continua um mistério e internautas por todo Brasil têm tentando desvendar o que aconteceu com o jovem. Ele deixou para trás escritos criptografados que estão sendo decifrados por dois amigos na web. 

Bruno está desaparecido (Foto: Reprodução)

Os amigos, que trabalham com segurança cibernética, são donos do site "Decifre o Livro". "Quando nós ficamos sabendo sobre os textos criptografados, pensamos em criar algo que pudesse acelerar o processo de quebra do código para ajudar a família", explicou a O Globo Igor Rincon, que trabalha ao lado do amigo e sócio Renoir dos Reis. "O site é colaborativo. As pessoas nos enviam fotos dos textos e usam um teclado virtual para decodificá-los", conta.

Bruno está desaparecido desde 27 de março. A mãe dele, a psicóloga Denise Borges, revelou que ele deixou 14 livros escritos em código em apostilas e pelas paredes do quarta, onde vivia trancado a maior parte do tempo. Uma estátua do filósofo italiano Giordano Bruno, avaliada em R$ 7 mil, também foi achada no quarto do rapaz. A família não viu quando a peça foi levada para dentro de casa. 

O site Decifre o Livro já teve três textos decodificados e mais de 40 mil acessos, segundo os donos. Rincon conta que o sistema de codificação usado pelo majoritariamente pelo jovem desaparecido era dos mais simples, apenas substituindo letras por símbolos. Outros textos mais complexos envolvem dois sistemas e ainda não foram quebrados. Clique aqui para acessar o site.

"Por milhares de anos o ser humano vem tentando encontrar respostas para perguntas como “qual o sentido da vida”? A filosofia que ao que tudo indica, parece ter se iniciado com Tales de Mileto em meados de 700 a.C. visa encontrar vestígios de perguntas sem respostas. A pesquisa profunda pela verdade absoluta advém da filosofia, e quando falamos a respeito de caminhos fáceis ou difíceis estamos nos referindo a esse tipo de teorema. É fácil aceitar o que desde criança te ensinaram que é errado", diz trecho decifrado postado no site.

A irmã de Bruno, Gabriela Borges, 28, contou que ele deixou uma chave para a criptografia do material no quarto, em uma pasta. "Não estava em difícil acesso, ele não deixou muita coisa no quarto, além do que foi feito. Só não encontrei uma das criptografias, mas a maioria está lá", disse ao G1 AC.

Chave para decifrar texto (Foto: Rede Amazônica)

O secretário adjunto da Polícia Civil do Acre, Josemar Portes, afirma que ainda não há um posicionamento oficial sobre a tradução dos escritos. Para ele, saber o que dizem os livros não é vital para o andamento das investigações. 

Na web, internautas descobriram que Bruno ofereceu em um site de classificados uma TV LED de 80 polegadas por R$ 8 mil, no dia 9 de fevereiro. Também acharam um comentário feito há dois anos em um blog sobre o russo Anatoly Moskvin, preso por mumificar corpos de meninas roubados em cemitérios. "Queimem-no como fizeram com Giordano Bruno", teria escrito o estudante. 

Investigação
A polícia acredita que Bruno deixou a casa de vontade própria e deve voltar em breve. Ele levou consigo um celular, que não tem sido usado, um HD e roupas. Ele já tinha comentado com amigos a vontade de se isolar de todos, mas sem dizer para onde ia.  "Não há nenhum indício de crime. Aparentemente, ele planejou. Acreditamos que, em breve, devemos ter uma notícia positiva", diz o delegado Carlos Flávio Portela.

O caso teve repercussão internacional. O jornal britânico Daily Mirror afirmou que o desaparecimento chamou atenção porque muitas pessoas acreditam que Bruno foi sequestrado por alienígenas depois da divulgação de um vídeo gravado no quarto dele. O Daily Mail deu o caso como "desaparecimento misterioso", citando que Bruno passou um mês trancado no quarto trabalhando em um "projeto secreto".