Moradores do Bairro da Paz fazem protesto após mortes e travam a Av. Paralela

salvador
20.03.2017, 19:07:00
Atualizado: 20.03.2017, 21:49:34

Moradores do Bairro da Paz fazem protesto após mortes e travam a Av. Paralela

As duas manifestações deixaram o trânsito lento na região e existe o risco de novos protestos

Moradores do Bairro da Paz fizeram duas manifestações na tarde segunda-feira (20) por conta das mortes de um homem e um adolescente que aconteceram no bairro, no domingo (19). Segundo a Central de Polícia, o primeiro protesto aconteceu por volta das 15h. Eles usaram pedaços de madeira e lixo para bloquear a Avenida Luís Vianna (Paralela). O grupo colocou fogo no material e a interdição durou cerca de 30 minutos, até os policiais militares chegarem e negociaram a liberação da via.

O segundo protesto aconteceu por volta das 18h. Desta vez, o grupo usou um ônibus para bloquear a Avenida Paralela. A Transalvador informou que a via foi liberada por volta das 18h40, quando o coletivo foi colocado ao lado da via. Ninguém ficou ferido. As duas manifestações deixaram o trânsito lento na região e existe o risco de novos protestos nesta segunda. 

Em nota, a Polícia Militar informou que policiais da 15ª Companhia Independente da PM (CIPM/ Itapuã), do Pelotão de Emprego Tático Operacional (PETO) e da Companhia Independente de Policiamento Tático (Rondesp Atlântico) estão negociando com os manifestantes. 

Mortes
No domingo, Michael de Jesus Silva, 21 anos, e um adolescente de 17 anos foram mortos morreram depois de serem baleados na rua Tancredo Neves, na transversal da Rua da Gratidão, por volta da 0h50. Segundo a Central, três homens a bordo de um veículo Peugeot preto seguiram e interceptaram as vítimas que estavam na rua, pediram que elas deitassem no chão e logo após efetuaram os disparos.

Os dois foram socorridos para o Hospital Geral Menandro de Farias, em Lauro de Freitas, mas deram entrada na unidade já sem sinais vitais. A polícia investiga a autoria e a motivação das mortes. O caso será apurado pela Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).