Morre tenente que passou mal em teste para tropa de elite da PM

salvador
04.02.2014, 18:26:00
Atualizado: 04.02.2014, 19:30:12

Morre tenente que passou mal em teste para tropa de elite da PM

Outros dois soldados morreram após sofrerem um mal estar em dezembro

O tenente Joserrise Mesquita de Barros Nascimento, 30 anos, morreu às 15h40 desta terça-feira (4), no Hospital São Rafael. Lotado na Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE/Cerrado), ele estava internado há 49 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

O tenente, que fazia parte da Polícia Militar da Bahia há seis anos, passou mal durante um teste físico para o Curso de Operações Policiais Especiais (Copes), junto com outros três colegas policiais militares. Eles foram atendidos inicialmente no Hospital Menandro de Farias, em Lauro de Freitas, e transferidos para hospitais da rede particular.

De acordo com assessoria do Hospital São Rafael, Joserrise morreu por falência múltipla de órgãos. "Durante o tempo que passou no Hospital São Rafael, todos os esforços foram tomados para a manutenção da vida do tenente da Polícia Militar da Bahia", diz a unidade de saúde em nota.

Os soldados Luciano Fiuza de Santana, 29, e Manoel dos Reis Freiras Júnior, 34, morreram no Hospital do Aeroporto ainda em dezembro. Manoel era lotado na 4ª  CIPM (Macaúbas) e Luciano trabalhava no 12º BPM (Camaçari). O quarto policial, o soldado Paulo Deivid Capinan da Silva Pedro, da 81ª CIPM (Itinga), recebeu atendimento médico e foi liberado.

Um inquérito policial militar foi instaurado com o objetivo de investigar as causas do incidente que culminou na morte dos PMs. Ao todo, 67 policiais participaram do teste. Os quatro policiais foram internados após uma atividade chamada Teste de Habilidade Específica (THE), que exigiu que os candidatos corressem 10 km em 60 minutos, no Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas. Na corrida, eles usavam calça do fardamento e coturno.

O teste ainda previa atividades como transposição de muro, subida no cabo vertical, transporte de carga e apneia na água. Em nota, a PM informa que o inquérito passou pela fase de oitiva e já foi enviado para conclusão. A Corregedoria da PM aguarda resultados dos laudos periciais.

Ainda segundo a PM,  todos os candidatos que participaram do processo seletivo passaram por exames laboratoriais, cardiorrespiratórios e físicos, além de apresentarem laudo médico atestando sua capacidade física para a realização de atividades físicas de alto impacto.