Morte de Teori Zavascki inspira teorias da conspiração na web

brasil
19.01.2017, 20:22:00
Atualizado: 19.01.2017, 23:32:13

Morte de Teori Zavascki inspira teorias da conspiração na web

Queima de arquivo? Morte encomendada? Muitos duvidam de acidente na morte do ministro

A morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki em um acidente de avião em Paraty, nesta quinta-feira, fez surgir todo tipo de teorias da conspiração nas redes sociais. Muitos internautas brasileiros parecem duvidar de que a morte foi casual e acreditam que a morte de Teori tem ligação com o fato dele ser relator da Lava Jato no STF.

(Foto: Reprodução)

O ministro estava prestes a homologar a delação de 77 empresários da Odebrecht - ele inclusive encurtou suas férias para voltar à Operação Lava Jato. Romero Jucá, Supremo, Odebrecht, Queima de Arquivo, foram expressões que ficaram nos assuntos mais comentados do Twitter brasileiro hoje.

O  músico Lobão foi direto ao tema: "APAGARAM O TEORI". Várias personalidades da web, à esquerda e à direita, sugeriram que algo de errado pode ter originado o acidente. "Tem que investigar a queda do avião, sim! Queremos investigação transparente, feita por equipe formada por membros de vários órgãos", escreveu no Twitter Janaína Pachoal, uma das autoras do pedido de impeachment de Dilma Rousseff. Janína também compartilhou um post de Francisco Prehn Zavascki, filho de Teori, que relatava um sentimento de insegurança família. 

"É óbvio que há movimentos dos mais variados tipos para frear a Lava Jato. Penso que é até infantil imaginar que não há, isto é, que criminosos do pior tipo (conforme o Ministério Público Federal afirma) simplesmente resolveram se submeter à lei! Acredito que a Lei a as instituições vão vencer. Porém, alerto: se algo acontecer com alguém da minha família, vocês já sabem onde procurar...! Fica o recado!", escreveu Francisco, em maio, em mensagem que foi deletada posteriormente.

(Foto: Reprodução)

O delegado Adriano Anselmo, um dos principais nomes da Lava Jato na Polícia Federal, também usou "acidente" entre aspas em uma postagem e pediu uma investigação "a fundo" do ocorrido.

Um tuíte do senador José Medeiros (PSD) de hoje mais cedo levantou desconfiança. "Não vou antecipar furo porque não sou jornalista mas o jornal nacional hj trará uma bomba de forte impacto no Brasil, envolvendo STF", escreveu ele hoje. Agora à noite, o senador voltou à rede social e classificou de "lenda urbana" os comentários que cercam a morte de Teori. "Comentei com o presidente que a morte do ministro suscitaria avalanche de lenda urbana.#jacomeçou".

(Foto: Reproduçaõ)

Diálogo recuperado
Uma conversa que foi divulgada em maio, entre o na época ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado também voltou a ressurgir online. 

Uma fala de Machado foi interpretada como uma tentativa de parar a Lava Jato. "Um caminho é buscar alguém que tem ligação com o Teori, mas parece que não tem", dizia ele. "Não tem", responde Jucá. "É um cara fechado, foi ela (Dilma) que botou, um cara... Burocrata da... Ex-ministro do STJ"m afirma. O perfil Dilma Bolada, administrado pelo publicitário Jeferson Monteiro, colocou o diálogo novamente em pauta.

O fato de que Michel Temer vai indicar o ministro que possivelmente ficará na relatoria da Lava Jato também foi citado, já que o PMDB e o próprio Temer estejam entre citados em esquemas de delatores - não há contra o presidente, contudo, nenhum inquérito. O ex-presidente Lula, investigado, também foi mencionado por algumas pessoas.

O acidente será investigado pela Polícia Federal e até o momento não há nenhum informação sobre as causas.

Tragédias passadas
Outras mortes de políticos em desastres aéreos foram lembrados nas redes sociais. O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) morreu em 2014, quando disputava a Presidência da República, em Santos. 

Outra morte muito citada foi a do ex-presidente da Câmara Ulysses Guimarães (PMDB), que estava em um helicóptero que caiu em 1992 no Rio de Janeiro.achment do então presidente Fernando Collor não fosse secreta. Morreu dez dias após o presidente cair.