PM usará 30 viaturas para inibir assaltos a ônibus

salvador
10.01.2015, 17:45:00

PM usará 30 viaturas para inibir assaltos a ônibus

Os corredores que receberão atenção especial são as avenidas Garibaldi, Bonocô, Suburbana, Paralela e Vasco da Gama

Como medida urgente para conter assaltos a ônibus e a agressão a rodoviários, o recém-empossado comandante-geral da Polícia Militar, coronel Anselmo Alves Brandão, determinou que 30 guarnições sejam colocadas de prontidão em corredores de tráfego de Salvador. 

Foto: Arquivo CORREIO

“Orientei ao meu coordenador de operações para que ele, a partir de hoje à noite (ontem), coloque 30 viaturas paradas nos corredores de tráfego, para que a população tenha a sensação de segurança e a delinquência perceba que somos mais fortes”, declarou o novo comandante da PM, em sua primeira coletiva à imprensa, ontem pela manhã, após cerimônia de posse, na Vila Policial Militar no Bonfim. Brandão assumiu no lugar do coronel Alfredo Castro, que comandou a instituição durante 3 anos e 9 meses.

A medida não é um aumento no efetivo, mas uma questão de “modelo de gestão”. “Serão utilizadas as viaturas das próprias áreas. Tenho as outras (viaturas) para dar suporte”, explicou o comandante-geral.

Os corredores que receberão atenção especial, segundo a PM, são as avenidas Garibaldi, Bonocô, Suburbana, Paralela e Vasco da Gama. Cada guarnição é composta por quatro policiais. A ação será aplicada sempre à noite.

 A decisão foi anunciada dois dias após o Sindicato dos Rodoviários enviar carta ao coronel Anselmo Brandão, cobrando medidas emergenciais para conter a ação dos bandidos. Segundo dados da própria Secretaria da Segurança Pública (SSP), em 2014, até novembro, foram registrados 812 assaltos a coletivos em Salvador, contra 757 durante todo o ano de 2013.

Ainda em relação à criminalidade, o comandante disse que, no sábado, duas grandes operações serão realizadas em duas comunidades de Salvador e contarão com efetivo de várias unidades da PM, inclusive com o Grupamento Aéreo (Graer). “(As operações serão) naquelas comunidades com problemas de segurança pública para ter mais ostensividade e sensação de segurança para essas pessoas”. Ele, porém, não revelou quais serão esses locais.

Corrente do bem
O comandante-geral da PM falou sobre os desafios para este ano. “Nosso objetivo é otimizar e potencializar as ações que já vêm sendo implementadas. Queremos a polícia mais presente, onde o cidadão pode ter maior sensação de segurança. Eu compactuo com a polícia próxima, comunitária, sem esquecer que dentro desse processo tem que haver participação de todos os setores, da família, das instituições, para que possamos fazer uma corrente do bem”, declarou.

Questionado sobre a investigação de denúncias contra ações policiais militares, o novo comandante-geral da PM disse que não será tolerante com excessos. “A PM não tolera violência policial com suspeitos. Se houver qualquer indício, eu não vou hesitar em tomar providências”, assegurou.

Estrutura e efetivo
O comandante afirmou que  pretende instalar, ainda este ano, 20 postos móveis para atuação durante o dia. Ele destacou ainda o investimento em tecnologia. “Hoje, temos 260 câmeras em Salvador, mas a proposta é atingir 400 câmeras”.

O novo comandante está à frente de uma tropa de 32 mil policiais militares que atuam em 20 batalhões, 82 Companhias Independentes de Polícia Militar, 21 unidades especializadas. 

Sobre o  efetivo,  o coronel Anselmo Brandão afirmou que haverá formação de mais 700 policiais este ano: “Formamos 1.200  e agora vêm mais 700 até dezembro. Um curso está em andamento. A meta do governador é aumentar o efetivo”.

Solenidade
Durante a solenidade, realizada ontem de manhã, o governador Rui Costa disse esperar que a polícia baiana se torne exemplo. “Espero que em quatro anos tenhamos uma polícia que seja cada vez mais referência para o Brasil. Estou falando de uma polícia cidadã, que se empenhe com louvor para garantir a segurança da população. É indiscutível a importância dessa instituição, que este ano completa 190 anos”, destacou o governador.

Estiveram presentes o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, dom Murilo Krieger, além de outras autoridades civis e militares, oficiais e praças.  

Perfil
Antes de assumir o comando-geral, o coronel Anselmo Brandão foi comandante do Policiamento Regional Atlântico de Salvador (CPRC/Atlântico), cargo que se reporta diretamente  ao comandante-geral. 

“Ele é um excelente comandante. Muito humano, dá tranquilidade para o policial trabalhar. Ele tem o hábito de ouvir a tropa. Muitas queixas nossas foram resolvidas só por ele nos ouvir”, disse o soldado Adailton Pereira, da  Rondesp Atlântico.

Nascido em Juazeiro, o coronel Anselmo Alves Brandão ingressou na PM há 32 anos. Foi diretor da Academia da Polícia Militar da Bahia, comandante do 18º Batalhão (Centro Histórico), comandante da 23ª Companhia Independente (Tancredo Neves), da 11ª CIPM (Barra), da 10ª CIPM (Candeias), da 3ª e 4ª Cias do 18º Batalhão  (Batalhão de Guardas).