Preso PM que matou gerente de loja em bar no Santo Antonio Além do Carmo

salvador
02.01.2018, 11:50:00
Atualizado: 03.01.2018, 15:36:05

Preso PM que matou gerente de loja em bar no Santo Antonio Além do Carmo

Policial se apresentou no DHPP

O policial militar Sérgio Ricardo Sobral Guerreiro, lotado no Batalhão de Choque, e suspeito de matar a tiros o gerente de loja André Luís Santos Silva, 32 anos, na calçada de um bar do Santo Antônio Além do Carmo, Centro Histórico de Salvador, se entregou e está preso. A informação é da Polícia Civil. Ele foi autuado em flagrante no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O crime aconteceu na manhã desta segunda-feira (1º). Na mesma data, mas à noite, Sérgio Ricardo compareceu no DHPP junto com um advogado. Ainda segundo a Polícia Civil, foi apreendida a pistola 9 mm que estava em poder do policial. André Luís será enterrado às 16h desta terça (2), no cemitério Quinta dos Lázaros. 

Além de matar André Luis, o PM atirou também no primo dele, Adriano Santos Santana, 27 - atingido no braço esquerdo de raspão e no joelho esquerdo. Adriano foi socorrido ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde foi submetido a uma cirurgia. Seu estado de saúde é estável. 

PM foi preso por matar gerente de loja (Foto: Reprodução/Milena Teixeira/CORREIO)

Apesar de uma arma ter sido apreendida pela polícia, testemunhas ouvidas pelo CORREIO disseram que o PM chegou ao local do crime com duas armas: um revólver e uma pistola. Guerreiro não estava fardado no momento do crime.

"Deu para ouvir nitidamente o barulho diferente de duas armas. E muita gente que estava na hora disse que ele chegou com duas (armas). Ele não veio para atirar nos dois rapazes. Porque não houve briga. Ele veio foi para matar todo mundo", contou uma moradora que não quis ser identificada. 

André e Adriano bebiam em frente a um bar, por volta das 8h, após terem saído da festa de Ano Novo no Largo de Santo Antônio, com mais oito pessoas, dentre elas a ex-mulher do PM. "Todos bebiam no largo quando resolveram tomar a saideira próximo à Cruz do Pascoal. Foi quando o policial chegou de carro e discutiu com a mulher", relatou a moradora. O PM teria ficado com ciúmes da ex-mulher.

Segundo testemunhas, a ex-mulher foi embora sozinha e o policial saiu logo em seguida de carro. Instantes depois, o policial retornou ao local e desceu do carro.

"Ele puxou as duas armas e saiu atirando. Foram muitos tiros. Mais de dez. Depois de matar André Luís, ele foi para matar também Adriano, que ferido, acabou caindo no chão depois de pisar numa vala. Ele apontou uma das armas para a cabeça de Adriano, mas não tinha mais munição", contou outra moradora.

Testemunhas relataram ainda que o policial conhecia as vítimas. "Os rapazes baleados são pessoas de bem, todos nascidos e criados aqui, no Santo Antônio, inclusive o próprio PM os conhecia. Antes de entrar na polícia, Sérgio vendia açaí no Barbalho e entregava aqui", disse um morador. 

Câmeras
Na manhã desta terça-feira (2), policiais do DHPP estiveram no local em busca de imagens do crime. Eles foram em pousadas, mas não tiveram sucesso. "Até agora não conseguimos. Algumas pousadas estão com os equipamentos quebrados e deixam as câmeras à mostra apenas para intimidar", explicou um dos policiais. 

Os policias recolheram também algumas munições provavelmente usadas no crime. "Serão levadas para serem comparadas com a arma apresentada pelo PM", disse o agente. 

Algumas marcas de tiro foram encontradas pelos investigadores. Havia uma perfuração parede de um hotel, na porta dianteira de um Hyundai Veloster e no capô de um táxi Voyage.

"Saí cedo de casa com a minha mulher para acompanhar a procissão do Bom Jesus dos Navegantes e deixei o carro aqui. Quando cheguei vi o estrago. Foi aí que soube do acontecido. Moro aqui há anos e isso nunca aconteceu", conta o taxista dono do veículo atingido.

Pedra
Quando o PM chegou de carro, o grupo que bebia teria atirado uma pedra contra o carro do policial, estilhaçando um dos vidros do veículo. O PM então saiu do local com a ex-mulher, mas retornou armado alguns minutos depois. André e Adriano tentaram correr, mas foram atingidos. 

Testemunhas contam que André foi atingido com um primeiro disparo e caiu no chão. O PM teria, então, se aproximado e feito outro disparo. A vítima morreu antes de receber os primeiros socorros. 

No HGE, a ocorrência foi registrada como tentativa de assalto. Segundo o posto policial, os dois homens foram vítimas de um assaltante. André Luís deixa dois filhos, uma menina de 8 anos e um menino de 10. Ele morava próximo ao local do crime.

A Polícia Militar informou em nota que policiais do 18º Batalhão – Centro Histórico atenderam uma ocorrência de disparo de arma de fogo no bairro de Santo Antônio Além do Carmo e encontraram um homem de 32 anos baleado, em via pública. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou o óbito. O local do crime foi isolado e a perícia foi acionada para fazer a remoção do corpo.

André Luis Santos Silva foi morto na manhã da segunda (Foto: Reprodução)