Programa vai priorizar climatização e reforma de escolas em Salvador; saiba como vai ficar

educação
01.07.2015, 07:40:00
Atualizado: 01.07.2015, 15:25:46

Programa vai priorizar climatização e reforma de escolas em Salvador; saiba como vai ficar

Ao todo, são 112 ações que serão tomadas durante o programa, que prevê investimento de mais de R$ 500 milhões até 2016

Atendimento psicológico para alunos e professores, agentes que vão até a casa do estudante que estiver faltando demais à escola, melhoria na formação continuada dos professores e instalação de TVs e DVDs em todas as escolas da rede são algumas das 112 ações do Programa Combinado, lançado, na terça-feira (30), pela prefeitura com o objetivo de melhorar a qualidade da rede municipal de ensino e que prevê um investimento de mais de R$ 500 milhões até 2016.

Programa vai priorizar climatização e reforma de escolas em Salvador; saiba como vai ficar
(Foto: Divulgação)

Apesar da centena de  ações (veja abaixo), o programa — cujo lançamento foi adiantado pela Coluna Satélite, do CORREIO, em maio — é considerado simples pela prefeitura. “O desejo de transformações vem de ações objetivas, mas com reais impactos nas escolas. Não estamos propondo ações fantasiosas, vamos fazer quase o óbvio”, afirmou o secretário municipal de Educação, Guilherme Bellintani, durante o lançamento do programa, ontem pela manhã, no Hotel Fiesta. 

“Deixamos de lado apenas as boas intenções na educação para colocar no lugar ações práticas que vão envolver família, professores, comunidade e a prefeitura, por isso (o nome) Combinado”, explicou o prefeito ACM Neto, que destacou como ações mais importantes as de reformas de escolas, a climatização dos ambientes e a expansão da educação integral.

O secretário advertiu  que não será possível conseguir implementar os 112 pontos em todas as 440 escolas até 2016, mas é otimista. “Em 2016 não vamos entregar uma rede pronta, acabada, mas certamente uma rede melhor”, disse.

O lançamento contou com presença de professores e gestores escolares, além de políticos e secretários municipais; e teve fanfarra da escola municipal Teodoro Sampaio, na Santa Cruz, com crianças e adolescentes moradores da região do Nordeste de Amaralina. 

Ações

O programa atribui a responsabilidade de 78 das ações à Smed. As outras 34 ações são de competência das escolas. As medidas foram divididas em seis grandes áreas: presença na escola; ações pedagógicas; ações de suporte; ações de infraestrutura; identidade e comunidade; e ações das escolas. 

O item presença na escola, nas palavras do secretário, pretende reduzir a distância entre o gabinete e a comunidade escolar com sete ações. Uma delas é a previsão de o próprio secretário visitar todas as escolas duas vezes, até o fim de 2016.

Já entre os 32 tópicos classificados como de suporte e apoio há os que já foram iniciados, a exemplo da recente compra de 5 mil ventiladores e a aquisição de equipamentos de ar-condicionado. Eles vão garantir pelo menos dois ventiladores por sala e a climatização de 20% das salas de aula.

Esse percentual deve ser ampliado, segundo divulgou a prefeitura, mas depende também da execução de uma das 11 ações listadas na área de infraestrutura:  a revisão elétrica das unidades. 

No tópico identidade e comunidade, está a criação de uma estrutura de atendimento psicológico para alunos e professores. A ideia é que profissionais que visitem as escolas de acordo com a demanda. Ele também poderá atuar junto aos pais.

Entre as ações pedagógicas  previstas está a ampliação da carga horária do ensino fundamental I. Por fim, as ações das escolas preveem acompanhamentos mais próximos dos alunos e da relação com a comunidade.

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR E VEJA AÇÕES

Investimento  

A previsão da prefeitura é que 2015 termine com investimento de 26% do orçamento em educação — a lei exige mínimo de 25%. Dos R$ 500 milhões que serão investidos, mais de R$ 200 milhões serão para gastos relacionados ao pagamento de pessoal.  

Gastos com infraestrutura, reforma e construção de novas escolas ocupam o segundo lugar na lista dos investimentos, com mais de R$ 140 milhões.

Acompanhamento

O programa prevê que, a cada dois meses, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) e as escolas indiquem se as ações já foram realizadas ou estão pendentes. “Não é já no próximo Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) que vamos ter os resultados, essa é uma ação de médio e longo prazos”, afirmou o prefeito.  

Entre os professores e gestores ouvidos pelo CORREIO, é grande a expectativa. Eles destacam que as ações de climatização são as mais urgentes. Também questionam a necessidade de suporte para as aulas das especialidades de Educação Artística e Física. 

Programa que prevê agentes em casa será lançado na terça-feira

Dentro das ações do Programa Combinado está o papel do Agente da Educação, projeto que será lançado na próxima terça-feira. Ele será responsável por acompanhar a frequência e o rendimento de cada aluno e ir diretamente à casa de cada um em caso de ausência (do aluno ou dos pais em reuniões).

“O pai que está afastado da educação do filho, ao receber uma visita de um agente, vai perceber a importância que o filho dele tem para a escola e começa a reavaliar sua postura”, afirma Bellintani. O projeto já foi implantado em 11 escolas de Salvador e tem parceria com o Parque Social. 

“Comungamos desse mesmo espírito da transformação pela educação, por isso estamos apoiando o projeto, em especial os agentes da educação. Serão 384 estudantes de pedagogia no primeiro ano”, detalhou Rosário Magalhães, diretora do Parque Social.