Salvador entra no grupo de cidades ‘verdes’ que inovam na promoção da sustentabilidade

Salvador entra no grupo de cidades ‘verdes’ que inovam na promoção da sustentabilidade

Outras três capitais do país participam do C40: São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba
Estação do Salvador Vai de Bike em São Tomé de Paripe. Estímulo ao uso de bicicletas é uma das iniciativas que aprovaram a cidade no C40 (Foto: Robson Mendes/Arquivo Correio)

Em 2005, 40 grandes cidades do mundo preocupadas com a sustentabilidade criaram o C40 (Cities Climate Leadership Group), grupo global que se reúne  para diminuir os efeitos da poluição no clima mundial.

Salvador solicitou a entrada nesse grupo em outubro de 2014. No dia 3 de março deste ano, foi aprovada a participação da cidade na organização, que hoje já conta com  75 cidades comprometidas na luta contra o efeito estufa. Outras três capitais do país participam do C40: São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

“A prefeitura realizou um seminário sobre resíduos sólidos em que estava presente um diretor do C40. A partir da reunião, o prefeito ACM Neto teve a ideia de pedir a entrada de Salvador no grupo”, conta o titular da Secretaria Cidade Sustentável, André Fraga. 

Segundo Fraga, no mesmo seminário também foi lançado o projeto de um inventário que vai medir a emissão de gases poluentes na cidade, a exemplo do metano e CO2.  O documento tem um custo estimado em R$ 600 mil e conta com financiamento da embaixada britânica através da operação do World Resources Institute (WRI) e do ICLEI, plataforma da ONU que atua junto aos governos locais.

A partir do inventário, será feito um plano de combate para a diminuição dos gases de efeito estufa.  “A iniciativa local, com ações das cidades, é um dos pilares do C40. A mudança climática faz parte da agenda global. É um problema de todos. Ao mesmo tempo, é na cidades onde tudo acontece”.

Fraga acredita que a entrada de Salvador na organização mundial se deve, em sua grande parte, não só às ações da prefeitura que envolvem sustentabilidade, como o aumento de ciclovias, mas também aos planos que ainda não saíram do papel. “Estamos implantando corredores exclusivos para ônibus, e até o final do mês será implantado o IPTU verde”, contou Fraga.

Compromisso de Salvador é reduzir emissão de gases do efeito estufa
As cidades participantes do C40 têm a responsabilidade de apresentar relatórios sobre as emissões de gás carbônico (CO2). Juntas, elas devem cumprir  o desafio de diminuir em 1 gigatonelada (1 bilhão de toneladas) a emissão de gases que provocam o efeito estufa até 2020. Para se ter uma ideia, por ano o mundo emite mais de 31 gigatoneladas de CO2.

Além do cumprimento da meta, a participação de Salvador no C40 também traz outros privilégios para a capital. Entre eles está a maior facilidade para acesso a crédito junto ao  Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e ao Banco Mundial.

As instituições têm interesse no financiamento dos projetos ecológicos da cidade. A entrada de Salvador na organização mundial será oficializada, em Buenos Aires, no dia 27. A cerimônia contará com o presidente do C40, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.