Tecnoporto: impressão espacial

 No final de 2014, a startup Made in Space  imprimiu o primeiro objeto 3D no espaço. Foi uma peça para ser utilizada na estação espacial internacional. A experiência provou que a impressão 3D pode encontrar, fora do planeta, uma de suas aplicações mais viáveis. O motivo é simples. Mandar pequenos componentes para lá custa muito caro. Os especialistas da área acreditam que a impressão de peças para reparos e até construção de pequenos satélites podem ser uma grande aplicação para essa tecnologia. Um suporte de antena danificado em um lançamento, por exemplo, poderia inviabilizar a operação de um milionário satélite. A fabricação dessa peça, lá mesmo no espaço, permitiria que o equipamento fosse reparado e o investimento recuperado. Muitos cientistas já projetam uma outra linha de trabalho. A modernização de equipamentos que tenham saído de operação e hoje são apenas lixo espacial. Por conta disso, a estação espacial poderia se transformar em um grande negócio ambiental e, é claro, comercial. A impressão 3D daria então um novo rumo ao programa espacial em muito pouco tempo.
 
Escolas rurais conectadas
 
55% das escolas rurais do Brasil estão no Nordeste. São 37.108 estabelecimentos e a maior parte deles é na Bahia: 10.510. Não é preciso muito esforço para imaginar a dificuldade que os professores dessas escolas têm para se reciclar. Pensando nisso, a Fundação Telefônica Vivo criou uma plataforma online de formação de professores de escolas rurais. Já são oito mil profissionais inscritos em cursos que podem ser feitos de duas formas. A primeira é a chamada “faça você mesmo”, na qual o professor se inscreve a qualquer momento e faz o curso no seu tempo. A segunda maneira, mais rebuscada, conta com especialistas nas mais variadas áreas do conhecimento. Nessa modalidade, as vagas são limitadas e os cursos têm data para começar e terminar. Para os treinamentos, mediados ou não, que possuírem mais de 60 horas de carga horária, os professores recebem, ao final, um certificado dado pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Cursos de menor duração dão direito a atestados de comparecimento mas, quando o professor de escola rural faz mais de um, e a soma deles chega a 60 horas, ele também ganha direito ao certificado de realização do treinamento. Todos os cursos são de graça e estão disponíveis para professores de todo o país. Para maiores informações,  basta acessar www.fundacaotelefonica.org.br/escolasrurais.  
 
Aventura rastreada
 
A empresa de comunicação via satélite americana Globalstar, através da sua subsidiária brasileira, Spot Brasil, está rastreando, em tempo real, a expedição #7CUMES, do montanhista brasileiro Gustavo Ziller. O aparelho usado é o SPOT Gen3, primeiro rastreador pessoal via satélite do mundo. Além da monitoração da aventura, através do Portal Extremos, é possível acompanhar todos os passos do montanhista. Dos sete picos a alcançar, o montanhista já venceu dois, o Aconcágua, mais alto das Américas, e o Kilimanjaro, o maior da África. O próximo, que  tem previsão de ser conquistado em setembro e estará disponível no sistema de rastreamento real time, é o Monte Elbrus, mais alto cume da Europa.
 
Carreiras virtuais
 
Amanhã (21/8) o jornalista e analista digital Antonio Netto, que atua assessorando o comportamento de diversas empresas na internet, faz uma palestra em Salvador. Na conversa, parte de uma aula nobre dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da UniJorge, ele vai focar em um ponto ainda esquecido por muitos estudantes. O fato de que a necessidade de criar uma imagem profissional começa ainda na faculdade. Quem esperar a formatura para começar essa construção estará perdendo um tempo precioso. Mostrar trabalhos e projetos realizados ainda no ambiente universitário, criando uma espécie de posicionamento profissional online, pode abrir caminhos para a futura vida profissional antes mesmo de terminar os estudos. Hoje, muitas empresas, mesmo que informalmente, incluem pelo menos uma rápida varredura em perfis de redes sociais de seus candidatos a vagas profissionais ou de estágio e isso, por si só, já mostra a importância de um tratamento cuidadoso em relação à imagem pessoal e profissional nas redes sociais, mesmo antes de estar no mercado de trabalho. A palestra acontece às 9h30 da manhã no auditório Zélia Gattai, no campus da Unijorge da Paralela, e é aberta ao público em geral. Vale a pena conferir.