Três gigantes dos jogos de azar querem construir cassinos em salvador 

satélite
03.01.2018, 05:00:00

Três gigantes dos jogos de azar querem construir cassinos em salvador 

Jairo Costa Júnior, com Luan Santos

Três gigantes globais da jogatina colocaram Salvador no centro do mapa de futuros negócios caso a legalização dos cassinos no Brasil seja aprovada. Representantes da Sands Corporation, do grupo MGM Mirage e da holding controlada pelos irmãos Lorenzo e Frank Fertitta - todos com origem em Las Vegas - já visitaram a cidade e, recentemente, se reuniram com o prefeito ACM Neto (DEM). Dona do maior cassino no mundo, o Venetian Macau, a Sands antecipou a pretensão de construir em Salvador o novo recordista no ramo. “As conversas foram produtivas. A Baía de Todos os Santos é a região que mais desperta interesse”, conta o deputado federal Elmar Nascimento (DEM). Ex-presidente da Comissão do Marco Regulatório dos Jogos de Azar na Câmara, Elmar articulou os encontros dos executivos com o prefeito.

Cartas na mesa
O projeto para legalizar os cassinos deve entrar na pauta de votações após o recesso parlamentar. “Está engatilhado. O presidente da Câmara (Rodrigo Maia) só pediu que a gente amadureça um texto comum com outra proposta que tramita no  Senado”, afirma Elmar Nascimento.

Sozinhos na pista
Os deputados estaduais Hildécio Meireles (PMDB) e Luciano Ribeiro (DEM) estão isolados no páreo para suceder o peemedebista Leur Lomanto Júnior como líder da oposição na Assembleia Legislativa. Contudo, integrantes da bancada afastaram qualquer possibilidade de bate-chapa entre os dois e asseguraram que o nome será escolhido após acordo interno. Até o momento, Meireles é apontado como favorito. Tem a favor maior facilidade de diálogo com colegas oposicionistas e lideranças de partidos governistas de centro.

Gota d'água
O presidente da Embasa, Rogério Cedraz, entrou em 2018 com o pé esquerdo. Motivo: a falta de água na noite da virada em Interlagos, justamente o local escolhido pelo governador Rui Costa (PT) para curtir o Réveillon. Instalado na casa alugada  por um ocupante do alto escalão do Palácio de Ondina, Rui perdeu a paciência logo que as torneiras secaram e tascou um puxão de orelha no comandante da Embasa. Às pressas, Cedraz organizou uma operação para retirar o governador da seca. Um tanque foi improvisado nos jardins da casa, situada na Rua da Lua, e carros-pipas garantiram o abastecimento para o chefe.

Pá de cal
Cardeais da bancada baiana no Congresso Nacional acham que o deputado federal Lucio Vieira Lima (PMDB) dificilmente escapará da cassação pela Câmara. Nos últimos dias,  afirmaram à Satélite, o clima contrário a Lucio cresceu no Conselho de Ética da Casa e tende a contaminar o plenário a partir de fevereiro. A avaliação é a de que, em ano eleitoral, a imagem do bunker de R$ 51 milhões vai cimentar a sepultura aberta para o irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Novos rolés
Quatro vereadores de Salvador aproveitaram a folga na Câmara para rodar o interior atrás de apoio às eventuais candidaturas a deputado estadual: Tiago Correia (PSDB), Alexandre Aleluia (DEM), Luiz  Carlos Suíca (PT) e Carlos Muniz (Podemos).

"Há muito a fazer e a eleição será crucial na continuidade da recuperação do país", José Carlos Aleluia, deputado federal do DEM, sobre 2018

Pílulas
Parece piada -
Criticada pela degradação do aeroporto de Salvador, a Infraero distribuiu ontem um card para se despedir “com orgulho” do terminal, que hoje passa para o guarda-chuva da Vinci.    

Adeus, Brasília - De volta à fila dos suplentes baianos há três meses, Robinson Almeida (PT) perdeu ontem o cargo na liderança da sigla na Câmara.