Vendedora já tinha prestado queixa contra ex; carro encontrado pode ajudar investigação

salvador
07.01.2014, 20:29:00
Atualizado: 08.01.2014, 00:03:22

Vendedora já tinha prestado queixa contra ex; carro encontrado pode ajudar investigação

Jovem de 20 anos foi assassinada esta manhã; ex-marido é principal suspeito

A vendedora de 20 anos assassinada na manhã desta terça-feira (7) na passarela do Shopping Paralela já havia prestado queixa contra o ex-marido na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). Há cerca de um mês, Jéssica Ramos dos Santos procurou a delegacia especializada para denunciar Jean Silva Cerqueira, 21 anos, que segundo ela cortou seus cabelos com uma faca.

"Ele entrou na casa dela, com uma faca de cozinha, e cortou os cabelos dela, o megahair. E
teria arranhado o rosto dela com essa faca", contou à TV Bahia a delegada Ana Virgínia, titular da Deam. A queixa foi registrada no dia 6 de dezembro. Segundo familiares de Jéssica, o suspeito ficou preso por um dia e depois foi liberado. Segundo a delegacia, como ele não tinha antecedentes criminais e as lesões foram considerados leves, ele deveria responder ao caso na Justiça em liberdade.

A jovem entrou com uma ação para impedir que o ex se aproximasse dela, já que ele ligava constantemente e a ameaçava desde que os dois se separaram, há cerca de 1 ano. Segundo familiares, a primeira audiência aconteceria na segunda-feira. Os dois tinham juntos um filho de 2 anos.

Principal suspeito pelo crime, Jean está foragido. Nesta tarde, um carro do pai dele foi localizado no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O veículo irá passar por perícia.

Jéssica foi morta com várias facadas por volta das 9h. Ela estava a caminho do trabalho, na loja Comparatto do shopping Paralela, quando foi atacada. Segundo uma jovem que testemunhou o momento em que a vendedora foi agredida, não houve uma tentativa de assalto e o rapaz tinha a vítima como alvo. "Ele estava parado do outro lado da passarela, falando no celular, como se estivesse esperando a moça", conta a testemunha, que preferiu não se identificar. "Quando ela passou, ele parou de falar no telefone e foi para cima dela". Jéssica foi atingida várias vezes no pescoço e na região do abdômen.

Ainda conforme testemunhas, ele fugiu em um veículo de cor prata após golpear a moça. Jean trabalharia como motorista de uma empresa terceirizada. Ele segue sendo procurado.