Economia

Cilada? Crédito para negativado é mais caro e pode chegar a custar 1.244% por ano; entenda

Para se livrar das contas em atraso, muitos brasileiros recorrem ao crédito. Especialistas revelam que isto pode ser uma cilada

Juliana Montanha (juliana.montanha@redebahia.com.br)
Atualizado em 27/06/2016 08:34:19

As dívidas que tiram o sono de quem está com o nome sujo podem se tornar um pesadelo se contratar crédito para limpar o nome, ofertado por algumas financeiras. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) realizou uma pesquisa no mês de abril com a oferta de crédito para clientes com restrição de crédito e constatou o preço alto que se paga nessas operações – quase 1.000% de juros. 

A pedido do CORREIO, o educador financeiro Edísio Freire fez uma nova simulação com as taxas  atualizadas e o resultado encontrado é ainda pior. Um cliente endividado que contrata um empréstimo na Crefisa pagará por mês 21,48% de juros.

A mesma operação na Facta Financeira terá um custo ainda maior por mês: 23,38%, o que equivale a uma taxa de juros de 1.244% ao ano, caso o cliente não pague as parcelas. Confira a simulação abaixo.

Alto risco
Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, as taxas cobradas são muito altas por conta do  risco de calote. “Clientes negativados já estão inadimplentes e é bem provável que não consigam pagar um  novo empréstimo”. Para ela, esse tipo de transação não deve ser uma opção.

“Se o cliente  deve ao cartão de crédito, que custa 450% ao ano, como irá contratar uma linha que custa mais de 1.000% para pagar? É um alto risco de se tornar um superendividado”. Na opinião da economista, a saída pode ser a  venda de um bem, como um carro, por exemplo.

A economista do IDEC e coordenadora do estudo Ione Amorim afirma que a publicidade ostensiva das instituções que ofertam crédito a negativados cria a ideia de um dinheiro fácil  como  solução para os problemas. “A renegociação de dívidas é o segundo maior motivo da inadimplência. O consumidor não deve assumir uma renegociação que não terá condições de pagar”, declara. 

Bolso vazio
O primeiro empréstimo do aposentado Constantino da Silva, de 65 anos, foi para reformar a casa, mas nos  últimos cinco anos, após outras dívidas e com o nome negativado, a situação complicou.

“Peguei outros empréstimos para limpar meu nome que estava com restrição e venho pagando. Pedi recentemente uma antecipação do 13º para resolver uma dívida de cartão, mas o banco não liberou porque apareceu uma outra restrição”.

A também aposentada Joana de Jesus, de  79 anos, pegou R$ 2,5 mil para pagar contas, mas reconhece que as taxas são muito altas. “O dinheito nunca dá. Além das contas de casa, preciso assumir os pagamentos dos empréstimos que já usei também para limpar o nome. Os juros são muito altos, mas não tem jeito, né?", lamenta ela.

Procon esclarece sobre ação para revisar os juros
A ação revisional de contrato é uma demanda judicial na qual se busca a revisão de financiamento ou das taxas de juros praticadas. O coodenador técnico da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA), Filipe Vieira, conversou com o CORREIO e esclareceu sobre como a ação funciona.

Quando o consumidor poderá solicitar a ação revisional dos juros de um contrato?
Ao firmar um negócio que envolva concessão de crédito, como cheque especial, carnê, cartão de crédito ou empréstimo, por exemplo, é importante que o consumidor conheça a realidade do mercado e do negócio, verificando se os  juros cobrados são os praticados pelo mercado.

A ação revisional é possível quando há fator superveniente, como a perda do emprego ou um gasto excessivo com uma intercorrência familiar. Fatos que ocorreram depois que o consumidou assumiu o compromisso, mas atingiram diretamente o equilíbrio econômico financeiro da pessoa.

Esses são fatores que podem possibilitar o pedido de reanálise, mas não assegura  que o consumidor terá  sua solicitação atendida. 

Na situação em que exista um fator superveniente para o pedido, como o consumidor deve proceder?
Para questões de abusividade ou não do valor da taxa de juros, a ação deverá ser aberta junto ao Poder Judiciário. Nesse caso, o consumidor pode obter uma primeira orientação em qualquer balcão de atendimento do Procon.

Caso a solicitação do consumidor seja a regularização das parcelas de um pagamento para quitação antecipada, esse atendimento é feito no próprio balcão de atendimento do Procon.

Renegociar é a solução, diz especialista
Uma pesquisa do   SPC Brasil revelou que   um em cada dez brasileiros (13,3%)  inadimplentes  já fez empréstimo com financeiras que fornecem crédito a negativados. A principal justificativa de quem tomou este tipo de empréstimo é que foi a única forma encontrada para quitar as dívidas (47,4%).

Resolver o problema de dinheiro com mais crédito é a pior coisa que uma pessoa que está endividada pode fazer, na opinião do educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli. “Quem está com dívidas precisa buscar os credores para renegociar, deixando claro que quer pagar, mas precisa de uma boa condição que não envolva mais taxas”, pontua Vignoli.

Para equilibrar as contas e quitar as dívidas, o educador indica que o cliente precisa buscar novas fontes de renda ou de trabalho extra, assim como mudar os hábitos de consumo para cortar gastos.

“Compartilhar o problema  com a família é essencial. Não dá para ficar vivendo da mesma forma e mantendo o mesmo padrão de vida, sem condições financeiras para isso”, afirma. Se a pessoa chegou ao ponto de contratar uma linha de crédito para negativado, o educador financeiro reforça que as medidas a serem tomadas precisam ser ainda mais radicais.

“É fazer tudo isso de uma forma ainda mais dura. Estar endividado dessa forma é como uma espiral negativa. Uma bola de neve que só aumenta. O cliente precisa entender como chegou até esse ponto para tentar reverter a situação sem repetir o mesmo erro cometido”.

publicidade

Salvador

Trânsito em Salvador
-- ºC
-- ºC

    Tábua de Marés

  • Alta01h02
  • Baixa07h06
  • Alta13h13
  • Baixa19h32

Assine o Correio 71 3533-3030

Fale com a Redação 71 3535-0330
Classificados Acheaqui71 3535-3035
Publicidade
71 3203-1812
Rua Aristides Novis, 123, Federação.
CEP: 40210-630 - Salvador, Bahia, Brasil.