1 cantora, 3 línguas, várias Anittas: Versions of Me tem lançamento mundial

entretenimento
13.04.2022, 06:00:00
Anitta seu seu quinto e mais internacional álbum (Foto: Marco Ovando/divulgação)

1 cantora, 3 línguas, várias Anittas: Versions of Me tem lançamento mundial

Em seu quinto álbum solo, a carioca passa por vários gêneros e reúne poderoso time internacional

Anitta lançou o seu novo disco, deixando de lado a ideia inicial de ter Girl From Rio como o fio condutor e partindo para a estratégia de falar um pouco mais de si e, principalmente, da versatilidade que precisou desenvolver - segundo a própria cantora, à base de muito suor - para realizar o sonho de entrar no mercado internacional da indústria fonográfica. 

Versions of Me foi lançado nesta terça (12), às 21h,  mesma data anunciada pela cantora há um ano, quando pensava em um projeto em cima de Girl From Rio. O top-1 no Spotify global e o início de uma consolidação como artista trilíngue mudaram a trajetória. A começar pela capa, com uma arte feita pelo diretor criativo Maxime Quoilin, que já trabalhou com Beyoncé, Jay-Z, Rihanna e Miley Cyrus e traz seis versões diferentes da garota de Honório Gurgel, que também quer ser do mundo.

Obviamente, a capa gerou polêmica logo de cara. E memes. E repercussão. E discussão. E disputa. Tudo bem no jeito Anitta de ser. “Como mudei, meu álbum também mudou. Então achei esse nome mais adequado ao contexto”, resumiu a artista.

Com 15 faixas, o disco tem produção executiva assinada pelo Ryan Tedder,  vocalista da banda One Republic, que já trabalhou com cantoras como Madonna, Beyoncé e Adele. Alguns singles já foram lançados pela cantora ao longo dos últimos três anos. Girl From Rio é um deles. Música top1 do Spotify Global, Envolver é quem abre a produção - a primeira na nova gravadora, a Warner Records, que não mede esforços para fazer com que Anitta alcance seu objetivo, aos 29 anos.

anitta

Vitrine Mundial

Nos últimos dias, ela vem aparecendo em programas da TV americana e será uma das atrações do Festival Coachella, que começa sexta-feira, com  transmissão no YouTube e tem, na programação, nomes internacionais como Billie Eilish e Harry Styles - além de Pabllo Vittar e Anitta. 

Só no Spotify, foram mais de 60 mil pré-saves para ouvir o álbum. Os 10 primeiros milhares vieram com pouco mais de um hora após o anúncio e contou com o empurrãozinho da própria Anitta, que prometeu aos fãs entregar detalhes à medida que as pessoas fizessem o pré-save. “O Versions of Me é álbum trilíngue, de referências multiculturais e diversas. Nesse projeto eu não tento abraçar o mundo, mas abraço todas as minhas facetas”, explica. Anitta. 

Cinco das 15 músicas já foram lançadas. A primeira delas foi Me Gusta, em setembro de 2020. O ano seguinte teve mais lançamentos, com Girl From Rio (abril), Faking Love (outubro) e Envolver (novembro). Este ano, ela lançou a música Boys Don't Cry, que cantou com Miley Cyrus no Lollapalooza, em São Paulo.

 Pop, pagodão e funk

No que diz respeito a feats, além de Card B e Myke Towers, que participaram de Me Gusta, o disco tema presença de Chencho (Gata), Ty Dolla $ign (Gimme Your Number), Afro B (Maria Elegante), Khalid (Ur Baby), Saweetie (Faking Love) e o Brasil aparece com força em Que Rabão, que tem participações dos brasileiros Kevin o Chris, além de Mr. Catra (in memorian) e Papatinho - YG fecha os créditos da 
faixa.


Anitta avisou que vai doar toda a porcentagem de lucros da faixa para a família e detalhou como foi possível que ele esteja presente no disco mesmo com sua partida em 2018. “Antes do MC Catra morrer, ele deixou vocais gravados com o meu parceiro Papatinho e decidimos trabalhar nessa faixa. Convidamos a maior voz do funk da nossa geração, Kevin O Chris, para se juntar a nós e o resultado é incrível”, disse Anitta, acrescentando que o funk é um tesouro da cultura brasileira.
 
Completam o trabalho cinco músicas solo: I'd Rather Have Sex, Love You, Turn it up, Love Me, Love Me e a faixa-título Versions of Me. “Esse álbum me representa em muitos níveis, muitas camadas. Tem, sim, os sons do Brasil, como o funk e o pagodão, que fazem parte das minhas origens. Mas tem também as referências que formaram o meu gosto musical, como o hip hop e o pop, sons que são globais. Me divirto, me solto e me sinto muito inspirada por todas essas ‘versões’ de mim”, define a poderosa.  
 

Linha do tempo:
Os singles já lançados que vão para o disco

Setembro de 2020
- Me Gusta

Abril de 2021
- Girl From Rio

Outubro de 2021
- Faking Love

Novembro de 2021
- Envolver

Janeiro de 2022
- Boys don't cry

Novas músicas
Solo
: "I'd rather have sex", "Love you", "Turn it up", "Love me, love me" e "Versions of me"

Feats:  Chencho (Gata), Ty Dolla $ign (Gimme Your Number), Afro B (Maria Elegante), Khalid (Ur Baby), Saweetie (Faking Love); Kevin o Chris, Mr. Catra, Papatinho e YG (Que Rabão)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas