2019 será melhor, mas não vai ser fácil

marketing & negócios
22.01.2019, 05:00:00

2019 será melhor, mas não vai ser fácil

Apesar das excelentes perspectivas para este ano, em função da renascença da mídia e da economia brasileiras, a vida das empresas e marcas não será nada fácil

Na coluna da semana passada, observei que estamos no limiar de duas renascenças para a atividade publicitária: o fortalecimento da mídia "tradicional", inclusive com a colaboração do digital, e da economia de mercado, pela anunciada reorientação da política econômica pública.

Os sinais de retorno da crença da mídia "tradicional" é um fenômeno global que vem desde o ano passado e será acelerado em 2019. No caso do mercado nacional, as perspectivas de profundas mudanças e de um período de grande aceleração dos negócios estão na base da nova política econômica, nos propósitos e no perfil nos novos responsáveis pela sua gestão macro.

Esse esperado período de vacas gordas não vai cair do céu, porém, nem significar uma vida fácil para os gestores das organizações e marcas, incluindo seus dirigentes comerciais e de marketing e comunicação.

Isso porque considerando a situação que se anuncia, as empresas e marcas precisarão, mais e mais, cativar os corações, convencer as mentes e estimular os dedos, ou seja, motivar as ações dos prospects, consumidores e clientes. O que significa, para o mercado publicitário, uma situação com certeza bem melhor que nos últimos anos, mas que será mais complexa e difícil, uma vez que operar no novo ambiente - para anunciantes, agências e veículos - demandará mais esforços e assertividade.

À medida em que o mercado começar a voltar, timing e aceleração serão vitais, pois a demora em mudar de atitude e voltar a investir com maior vigor na disputa pelos consumidores pode levar as marcas retardatárias a perder ótimas oportunidades.

As empresas – que disputam, neste momento, o pagamento das dívidas, novos investimentos ou mais consumo – precisam estar mais ativas do que nunca, para não perder seu lugar na maratona que se inicia, que terá aumentada a velocidade e intensidade média de competição.

Porque as bases de mercado foram modificadas nesses anos de dificuldade, de evolução tecnológica e de emponderamento dos consumidores, com um expressivo aumento da competição cruzada e da própria eficiência dos concorrentes.

Os consumidores mudaram de visão, comportamento e hábito, novas categorias e sub-categorias de mercado foram criadas e inúmeras novas marcas passaram a existir.

Há, também, um número maior de “bocas para comer” interna e externamente às organizações e todos irão disputar ferozmente cada Real existente ou que venha a existir.

Competidores diretos e, principalmente, indiretos estão ou estarão na disputa em número cada vez maior, empregando estratégias e táticas tradicionais e inovadoras com maior pressão.

Com isso constataremos, uma vez mais, que as soluções mais eficientes podem não ser as mais eficazes e novos padrões de pensamento, estruturação de planos, sua aplicação e mensuração precisarão ser aplicados, com mais esforço e precisão que antes.

Quando o mercado era menos complexo e havia menos soluções, não era difícil escolher a melhor delas. Agora, é exatamente o contrário. Uma dificuldade comum no marketing e publicidade tem sido a estruturação de soluções mais eficientes no curto prazo, mas que podem comprometer a eficácia no longo prazo.

Por isso o recomendado é, evidentemente, empregar um mix otimizado do passado e do presente para assegurar o futuro, pois é certo que nem tudo que é antigo funciona menos ou deixa de funcionar e nem tudo que é novo funciona ou é melhor.

A sabedoria está em fazer esse mix otimizado do tradicional com o novo para construir o amanhã com maior solidez. O que demandará colaboração mais intensa e ativa entre anunciantes, agências e veículos - tema do terceiro artigo desta série.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/cristiano-ronaldo-vira-meme-ao-protagonizar-comercial-asiatico/
Astro português aparece dançando e é ignorado por torcida na propaganda de TV
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/jota-quest-apresenta-turne-acustica-nesse-domingo-18-na-concha/
Show será a despedida do Saideira Acústico Tour em solo soteropolitano
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/ivan-da-ponte-descobre-em-aviao-que-foi-convocado-veja-video/
Goleiro foi avisado que estava na lista de Tite para a Seleção pelo piloto: 'Não dá nem para acreditar'
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/normani-ex-fifth-harmony-lanca-seu-primeiro-single-solo/
Motivation chegou na madrugada dessa sexta (16), e está disponível em todas as plataformas digitais
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/jumento-e-amarrado-em-caminhonete-e-arrastado-por-rua-de-barreiras/
Além de maus-tratos, motorista responderá também por insegurança viária
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/idoso-entra-em-coma-apos-levar-murro-no-rosto-de-ciclista-em-feira-de-santana/
Agressor foi à delegacia e apresentou relatório que comprova transtornos mentais
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/operacao-cumpre-19-mandados-de-prisao-na-ba-alvos-sao-do-pcc/
Segundo o Ministério Público, 12 foram presos no estado
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/tarantino-reune-brad-pitt-e-leo-dicaprio-em-filme-de-pouca-inspiracao/
'Era Uma Vez em... Hollywood' homenageia a indústria do cinema dos anos 60 e também a trágica e bela atriz Sharon Tate
Ler Mais