'A gente podia levar esse 'combina' pra meu trio', disse Márcio Victor

entretenimento
03.12.2017, 00:00:00
Atualizado: 03.12.2017, 00:48:06
Anfitrião da noite, o cantor paraense Felipe Cordeiro convidou Márcio Victor, o coletivo Àttooxxá e a cantora Gaby Amarantos (Foto: Ulisses Dumas/Divulgação)

'A gente podia levar esse 'combina' pra meu trio', disse Márcio Victor

O líder do Psirico convidou Felipe Cordeiro, Gaby Amarantos e Àttooxxá para a folia

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A mistura entre o tecnobrega e o pagode baiano deu uma liga tão forte no festival Combina MPB que surgiu um convite para repetir a dose do show que reuniu os cantores paraenses Felipe Cordeiro e Gaby Amarantos, o coletivo Àttooxxá e o cantor Márcio Victor. "A gente podia levar esse 'combina' pra frente do meu trio, né?", convidou Márcio Victor depois do encontro que marcou a segunda noite do festival Combina MPB.

"Prometeu na frente de todo mundo, vocês ouviram, né?", responderam os integrantes do Àttooxxá com bom humor. A cantora Gaby Amarantos não só aprovou a proposta, como completou brincando: "Faz um disco!". Os convidados não esconderam a satisfação com o resultado do show que passeou por sucessos do anfitrião como Tarja Preta, gravado com Arnaldo Antunes, hits de Gaby Amarantos, como Ex Mai Love, e sucessos do Psirico e do Àttooxxá, como Popa da Bunda.

"Isso aqui é o Combina MPB pra mim. A música combina entre si, isso é fato, mas a liga que eles fazem... Aconteceu algo no palco. Isso era o que eu queria fazer. O que eu pensei, idealizei, aconteceu hoje. Com eles eu senti ali na frente, fiquei impactada", comemorou a empresária Flora Gil, responsável pela realização do evento.

Posicionamento político
O tom político também deu o tom do show, já na abertura com Felipe Cordeiro que, ao lado do pai, o guitarrista Manoel Cordeiro, convocou: "Vamos celebrar a cultura do nosso país, nossa mestiçagem, nossa antropofagia!".

A diversidade, o amor homossexual e a liberdade também foram destacadas pelo artista. "Estão querendo dizer que nosso país é careta, mas a gente é livre. Essa mistura que estamos fazendo no Combina MPB é nossa liberdade. Viva a liberdade, viva o Brasil!", defendeu o cantor.

Gaby também deu seu recado depois de entrar no show de Felipe dizendo "Ela não é Gisele Bündchen, mas é gostosa, Brasil!". Enquanto o público dava gritos de aprovação pela atitude da musa paraense, Gaby agradeceu: "Que prazer estar na terra do axé, onde o negro tem orgulho da sua raça, da sua beleza!".

Questionada, depois do show, sobre a importância do posicionamento político dos artistas, Gaby disse que era muito importante, porque o artista "está prestando um serviço". "É importante ainda mais nesse momento que a gente está vivendo, quando a arte está sendo questionada, as pessoas negras estão sendo tratadas com desprezo, as mulheres também. Que bom que no festival a gente pode reverberar tudo isso", comemorou a artista.

A cantora paraense Gaby Amarantos foi uma das convidadas do anfitrião Felipe Cordeiro
A cantora paraense Gaby Amarantos foi uma das convidadas do anfitrião Felipe Cordeiro (Foto: Ulisses Dumas/Divulgação)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas