A supermodelo Gisele Bündchen tem problemas como a gente

entretenimento
22.12.2018, 08:25:00
Atualizado: 22.12.2018, 08:25:32

A supermodelo Gisele Bündchen tem problemas como a gente

Em autobiografia, estrela da moda fala sobre a sensação de ter fama, mas não voz

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Imersa no mundo da passarela desde os 14 anos, Gisele Bündchen, hoje com 38, vai muito além dos bastidores da moda no livro Aprendizados: Minha Caminhada Para uma Vida, sua autobiografia. Em 240 páginas, ela discorre a sensação de, por muitos anos, ter tido fama, mas não voz. Gisele se aproxima dos leitores ao abordar temas como bullying, julgamentos, crises de pânico, pensamentos suicidas e arrependimentos.

As declarações mais pessoais da modelo servem  como metáforas para problemas sociais. A cobrança excessiva da indústria da moda,  por exemplo, reflete sobre a objetificação das mulheres em meio a uma sociedade machista e preconceituosa em diversos níveis. 

É em meio a tal realidade que a famosa explica como criou a noção de enxergar a “Gisele modelo” como alguém distante e diferente dela mesma (um tipo de personagem). “Numa tentativa de me proteger e evitar sofrer ou me sentir um objeto, eu criei um escudo ao redor de mim mesma. O meu eu privado era Gisele, mas a modelo Gisele era ela. Era como eu a chamava também – ela. Ela era uma atriz. Uma performer. Uma camaleoa. Uma personagem que criei para expressar a fantasia de um estilista”, anota.

O livro segue com Gisele falando de vários temas, como as crises de ansiedade e as mútiplas pressões que sofreu. Ela conta que mudou de vida quando resolveu desacelerar e que encontrou o equilíbrio na ioga e na alimentação mais natural, livre de açúcar e café. Captando o quanto pausar também é estar fazendo, ela diminuiu o ritmo e abraçou o estilo de vida equilibrado que segue atualmente. 

*Com orientação da editora Ana Cristina Pereira

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas