Aberto da Austrália: Djokovic vence Zverev de virada e vai à semi

esportes
16.02.2021, 15:59:00
Atualizado: 16.02.2021, 15:59:28
Djokovic enfrentará agora o russo Aslan Karatsev (Foto: Peter Staples/ATP Tour)

Aberto da Austrália: Djokovic vence Zverev de virada e vai à semi

Após quebrar a raquete com raiva, líder do ranking conseguiu a vitória e se classificou à semifinal pela nona vez; Serena Williams vai enfrentar Naomi Osaka

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Sem demonstrar sinais de dores, Novak Djokovic fez sua melhor apresentação neste Aberto da Austrália, nesta terça-feira (16), e conquistou uma grande vitória, de virada, sobre o alemão Alexander Zverev, por 3 sets a 1, com parciais de 6/7 (6/8), 6/2, 6/4 e 7/6 (8/6). O triunfo levou o número 1 do mundo às semifinais em Melbourne.

O dono de oito títulos do Aberto da Austrália correu risco de ser eliminado ainda na terceira rodada, quando sofreu com dores abdominais diante do americano Taylor Fritz. Na sequência, chegou a cogitar o abandono do torneio. Mas recuperou-se rapidamente e venceu o canadense Milos Raonic, pelas oitavas de final.

Nesta terça (16), o líder do ranking fez mais uma partida longa, de 3h30min de duração, e desta vez não reclamou de dores. Mas não deixou de sofrer em quadra, desta vez por conta das dificuldades impostas por Zverev. O alemão saiu na frente no jogo e depois abriu vantagem no segundo e terceiro sets, porém se conseguir sustentar a dianteira no placar.

A oscilação do número 7 do mundo foi uma das marcas do jogo, em que Djokovic também abusou da irregularidade. Zverev apresentou forte queda no segundo set e o sérvio, no terceiro, após desempenho fulminante na parcial anterior.

O favorito demorou para entrar no jogo. No set inicial, cometeu 21 erros não forçados. Ao reagir, na segunda parcial, mostrou precisão e golpes que ainda não havia apresentado na competição. Com duas quebras em sequência, chegou a abrir 4/0. Fechou o set e empatou o duelo cometendo apenas dois erros não forçados.

Zverev esboçou reação no início do terceiro set. Fez 4/1 no placar e irritou Djokovic, que destruiu uma raquete no chão. O alemão, porém, voltou a oscilar mentalmente. E permitiu a virada: 5/4, sofrendo a última quebra sem vencer um ponto sequer no game. O sérvio virou a partida em seguida.

O quarto set teve roteiro semelhante ao do terceiro. Zverev abriu 3/0, mas Djokovic empatou. Mais equilibrada, a parcial precisou ser decidida no tie-break. O alemão salvou um match point, mas não resistiu ao forte ritmo do sérvio, claramente superior em quadra nos games finais do confronto.

O próximo adversário de Djokovic será o russo Aslan Karatsev, grande surpresa da competição até agora. O 114º tenista do ranking voltou a fazer história ao superar o búlgaro Grigor Dimitrov, algoz do austríaco Dominic Thiem, por 3 a 1, com parciais de 2/6, 6/4, 6/1 e 6/2.

Karatsev fará seu nono jogo, na semifinal, porque iniciou sua campanha no Aberto da Austrália ainda no qualifying. Assim, ele se tornou o segundo jogador da história deste Grand Slam a sair do quali e chegar até a semifinal. Apenas o australiano Bob Giltinan havia alcançado este feito, em 1977.

O russo também entra para a história por ser o tenista de menor ranking a alcançar a penúltima rodada desde Patrick McEnroe, que curiosamente também figurava no 114º posto ao alcançar a semifinal da edição de 1991 do Aberto da Austrália. 

Serena e Osaka vencem e se enfrentam em semi
Pela chave feminina, a veterana americana Serena Williams vai encarar a japonesa Naomi Osaka, em busca da vaga na grande final do primeiro Grand Slam da temporada, disputado em Melbourne.

Será a reedição da final do US Open de 2018, quando Osaka surpreendeu a rival mais experiente para conquistar seu primeiro Slam da carreira. A japonesa tem outra vitória sobre Serena, no mesmo ano, em Miami. Serena venceu a adversária apenas uma vez, em Toronto, em 2019.

Osaka entrou em quadra primeiro nesta terça-feira. E teve mais facilidade do que o esperado para superar a taiwanesa Hsieh Su-wei por 2 sets a 0, com duplo 6/2, em apenas 1h06min de duelo A atual número três do mundo disparou sete aces, obteve quatro quebras de saque e não perdeu o serviço em nenhum momento da partida, contra a adversária que vinha surpreendendo em Melbourne.

A japonesa registrou ainda 24 bolas vencedoras, contra 14 da taiwanesa. E apenas 14 erros não forçados, diante de 23 da rival Osaka chegará à semifinal com apenas um set perdido até agora, no confronto anterior, contra a espanhol Garbiñe Muguruza.

Serena Williams teve mais trabalho para avançar na chave. A 11ª colocada do ranking precisou mostrar todo o seu talento para superar a romena Simona Halep, número dois do mundo, por duplo 6/3, em 1h21min.

Dona de sete títulos em Melbourne, a tenista de 39 anos faturou seis quebras de saque, contra três da romena. E fez a diferença com suas 24 bolas vencedoras, diante de apenas nove da rival. A potência nos golpes decisivos compensaram os 33 erros não forçados (Halep anotou 19).

Em busca do sonhado 24º troféu de Grand Slam, o que a faria igualar o recorde da australiana Margaret Court, Serena vai disputar sua 40ª semifinal de Major, tentando alcançar a 34ª final.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas