Acervo do Museu de Arte da Bahia está no Google Arts & Culture

entretenimento
24.11.2020, 05:50:00
Parte do acervo do Museu de Arte da Bahia etá no Google Arts & Culture (Mateus Brito/Divulgação)

Acervo do Museu de Arte da Bahia está no Google Arts & Culture

Inicialmente, o espaço baiano oferece acesso a três coleções

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Museu de Arte da Bahia é o primeiro museu baiano a ter parte de seu rico acervo no Google Arts & Culture (aqui), plataforma do Google que ajuda a divulgar o trabalho dos mais importantes espaços e manifestações culturais do mundo.

Segundo a museóloga Ana Liberato, que dirige o espaço, a partir de agora, pessoas em diferentes locais poderá acessar o acervo virtual e conhecer algumas das 15 mil obras que fazem parte do conjunto do museu, vinculado ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural - IPAC - e Secretaria da Cultura da Bahia.

Serão apresentadas inicialmente três exposições: Coleção Lopes Rodrigues, com destaque para as obras destes renomados pintores do século XIX, o pai, João Francisco Lopes Rodrigues e seu filho, Manoel Lopes Rodrigues. Fazem parte da mostra, obras de grande importância, como A República, Dois Véus e Orquestra Ambulante, além de naturezas mortas e paisagens; a coleção O Negro e as Artes Plásticas no MAB, uma reverência ao Novembro Negro, que apresenta ao público, com obras de Carybé e Emanoel Araújo, entre outros.
 
E ainda a mostra Vistas e Igrejas de Salvador, que ontempla as obras de artistas como Presciliano Silva, Alberto Valença, João Alves, Mendonça Filho, retratando paisagens, igrejas e marinhas, e representam marcas do passado, guardadas hoje neste museu e que evocam a lembrança de alguns  aspectos da antiga Cidade do Salvador. 
 
História

O Museu do Estado foi criado em 1918, na gestão do Governador Antônio Muniz, como uma seção anexa ao Arquivo Público. Foi regulamentado em 1920  e 1931 teve seu acervo aberto para visitação pública após sua instalação no Solar Pacífico Pereira, na Praça Dois de Julho (Campo Grande), no terreno onde hoje está o Teatro Castro Alves.

Em 1946 foi transferido para o Solar Góes Calmon, em Nazaré, sede atual da Academia de Letras da Bahia, e sob adireção do artista plástico Emanoel Araújo, em novembro de 1982, foi instalado na sua nova sede, no Corredor da Vitória, onde se encontra até os dias atuais.
 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas