Amanda Nunes vence holandesa e mantém cinturão pela 5ª vez

esportes
15.12.2019, 11:44:04
Atualizado: 15.12.2019, 15:16:44
(AFP)

Amanda Nunes vence holandesa e mantém cinturão pela 5ª vez

Baiana chegou à marca de dez vitórias seguidas na organização; Marlon supera Aldo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em uma luta travada, mesmo com desempenho abaixo do que vem mostrando, a baiana Amanda Nunes venceu a holandesa Germaine de Randamie por decisão unânime dos juízes (49-44 e 49-46 e 49-45) no UFC 245, em Las Vegas, nos Estados Unidos, e manteve pela quinta vez o cinturão do peso galo.

Amanda, que já tinha vencido a holandesa em 2013, chegou à marca de dez vitórias seguidas na organização. Além disso, ela conquistou o sétimo triunfo em lutas valendo o cinturão no UFC e superou a norte-americana Ronda Rousey, que tem seis.

A "Leoa", como é conhecida, não fez a melhor de suas lutas. Foi bem no primeiro e terceiro assaltos, levou a pior no segundo round e até chegou a ficar perto de ser finalizada pela oponente holandesa no quarto round.

No entanto, a brasileira provou mais uma vez que é casca grossa. Ela teve calma para escapar do triângulo de Germaine e voltou a dominar o combate até o final para vencer por decisão unânime.

Peso Galo 
Na luta entre brasileiros no card principal, Marlon Moraes mostrou foco e inteligência para derrotar Jose Aldo, que fazia sua estreia na categoria dos galos, por decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29 e 29-28). O público vaiou o resultado, esperando que o ex-campeão dos penas fosse o vitorioso. Ele foi aplaudido e deixou o octógono chorando.

Aldo levou um chute certeiro logo no início do combate que fez as suas pernas tremerem. Recuperou-se, no entanto, e conseguiu encaixar bons gols no primeiro round. O ex-campeão dos penas foi melhor no início do segundo assalto, mas viu Marlon Moraes crescer na luta ao abafar a pressão que sofria.

No terceiro e último round, Marlon conseguiu evitar a trocação franca e escapou de ser encurralado. Ele tentou chutes altos, enquanto Aldo apostou nas joelhadas voadoras. No fim, os dois tiveram seus braços erguidos e comemoraram. Após a decisão dos juízes, apenas Marlon sorriu.

O card preliminar não foi bom para as brasileiras. Ketlen Vieira e Viviane Araújo, que tinham chances de disputar o cinturão de suas respectivas categorias, acabaram sendo derrotadas. Ketlen foi nocauteada pela mexicana Irene Aldana no primeiro round, e Viviane Araújo caiu para a americana Jessica Eye por decisão unânime (triplo 29-28). As duas perderam pela primeira vez na organização.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas