Amiga de Paulo Gustavo diz que ele queria fazer arte com a internação

entretenimento
06.05.2021, 15:20:00
Atualizado: 06.05.2021, 16:08:17
Paulo Gustavo e a diretora Susana Garcia (divulgação)

Amiga de Paulo Gustavo diz que ele queria fazer arte com a internação

Susana Garcia, que dirigiu Minha Mãe é uma Peça 3 e acompanhou o ator no hospital por também ser médica, fez post emocionado 

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A médica e diretora Susana Garcia, de Minha Mãe é uma Peça 3, acompanhou Paulo Gustavo durante sua internação e postou nas redes sociais alguns detalhes dos últimos dias do ator. Vítima da cvid-19, Paulo Gustavo morreu aos 42 anos nesta terça (4), por complicações da covid-19.

Ela escreveu sobre a generosidade do amigo, do medo que ele tinha de não ver os filhos crescerem e da vontade de transformar a experiência da internação em arte.

“Como sei o quanto você ama os seus amigos, comecei a falar de cada um deles e você se emocionou, chorou, a sua saturação caiu e eu na hora mudei de assunto e comecei a falar de projetos. Você disse que queria transformar todo aquele sofrimento em arte. Você começou a se empolgar, e você é tão genial, que inventou toda uma história linda que se passava no hospital. Tinha humor, amor e generosidade. Como você!”, escreveu ela em um trecho do post.

Depois, em outro trecho da mensagem, Susana falou de como Paulo fazia questão de ajudar pessoas que trabalharam com ele e passavam por dificuldades na pandemia. Ela também falou das doações em dinheiro para a compra de oxigênio para Manaus.

“Como eu admiro o ser humano que você é. A sua generosidade me emociona. Você, na pandemia, depositou, por três meses, R$ 1 mil por mês para quase 120 pessoas que trabalharam nos filmes que nós fizemos. Você mandou um e-mail para todo mundo das equipes perguntando quem estava precisando de ajuda. E as pessoas foram tão corretas, que várias falaram que estavam conseguindo segurar e que não precisavam. Mas a maioria recebeu essa ajuda. Na crise em Manaus, você enviou R$ 500 mil para compra de oxigênio e nunca divulgou nada. Lembro um dia, antes de você ser intubado, que você me disse que estava sentindo muita falta de ar, mesmo com cateter de oxigênio, e que você estava feliz de ter comprado oxigênio para as pessoas”, escreveu.

No final, Susana revelou os medos do amigo e ressaltou o quanto ele era especial.

“Você, que pouco antes de ser intubado, me disse que estava com medo de não ver seus filhos crescerem, saiba que eles vão crescer vendo a sua história. Você é o maior artista do momento. Você transformou muitos lares brasileiros com Dona Hermínia, tocou em assuntos tabus e através do seu humor, conseguiu ser político e ajudar a muitas famílias. Você é unanimidade. A maior bilheteria do teatro e do cinema! Você foi o maior símbolo da resistência potente da nossa cultura. Torço para que a dor de tanta gente vire símbolo de mudança na nossa sociedade. Você vai contribuir para substituir o ódio e o individualismo pela alegria e pelo cuidado do coletivo. Vou seguir assim, com você vivo dentro de mim. Te amo para sempre."

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas