Animação baiana é uma das ganhadoras do Festival Anim!Arte

entretenimento
14.06.2021, 18:18:00
Atualizado: 14.06.2021, 18:20:30
Òpárá de Òsún: Quando Tudo Nasce venceu na categoria filme ambiental (divulgação)

Animação baiana é uma das ganhadoras do Festival Anim!Arte

Além de Òpárá de Òsún: Quando Tudo Nasce, de Pâmela Pelegrino, outros três brasileiros venceram a 16ª edição do evento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quatro animações brasileiras conquistaram a 16ª edição do Festival Anim!Arte, que teve sua cerimônia de premiação neste domingo (13). São elas: Òpárá de Òsún: Quando Tudo Nasce, de Pâmela Pelegrino; Maria Quitéria Honra e Glória, de Antonio Jesus da Silva; Modais, de Nícolas de Sousa e Baiacu, de Luíza Ishikawa. 

Na categoria Filme Ambiental o grande vencedor do júri oficial foi o baiano Òpárá de Òsún: Quando Tudo Nasce, de Pâmela Pelegrino.

O curta  Òpárá de Òsún: Quando Tudo Nasce pode ser visto abaixo:

A equipe de jurados também condeceu menção honrosa para o também brasileiro Nana e Nilo - Dia de Sol e Chuva, de Sandro Lopes; para o argentino El Árbol ya fue Plantado, de Irene Blei e para o britânico Rhino, dirigido por Bethany Powell. O júri online consagrou o peruano Ana Y El Covid-19: Pequeñas Historias, de Paula Chávez e Carolina Paullo. 

O grande vencedor segundo o júri oficial na sessão Culturas do Mundo foi o mexicano El Desfile de Los Ausentes, de Marcos Almada, que também concedeu as menções honrosas para Oríkì, de Pâmela Peregrino (Brasil); Tobi and the Turbobus, de Verena Fels e Marc Angele (codireção de Alemanha e Suíça) e Mofyah - Dada Yute, de Vinicius Kahan e Marco Souza (Brasil). Segundo o júri online o melhor filme foi para o também brasileiro Maria Quitéria Honra e Glória, de Antonio Jesus da Silva. 

O júri oficial premiou como melhor animação na categoria Estudantes Brasileiros Maxi Modais, de Nícolas de Sousa (Rio Grande do Norte) e concederam menção honrosa para dois filmes do Rio de Janeiro: Altcell, do trio Matheus Galvão, Erik Fischer Guimarães e Renata Boury e Andorinha, de Clara Braem e, para o filme gaúcho O homem atrás da janela, de Naum Roberto Gomes. Na votação popular o paulistano Baiacu, de Luíza Ishikawa, foi o vencedor. 

A edição será estendida até 25 de junho na plataforma Kinow (https://animarte.kinow.tv). Até agora mais de 700 pessoas de 40 países já participaram do evento este ano. Além de todos as animações, será criada uma sessão destacando os filmes vencedores.  

Confira a programação completa em: https://animarte.kinow.tv  

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas