Anistia Internacional cobra laudos das mortes no Cabula

salvador
03.04.2015, 09:27:00
Atualizado: 03.04.2015, 15:22:51

Anistia Internacional cobra laudos das mortes no Cabula

Em nota, a ONG afirmou que o governador Rui Costa vem “negando de forma reiterada” os pedidos da própria Anistia

A ONG Anistia Internacional (AI) criticou o fato de ainda não ter tido acesso aos laudos cadavéricos das 12 vítimas mortas em operação da Rondesp no Cabula, no dia 6 de fevereiro. Na quinta-feira (2), o CORREIO mostrou, com exclusividade, que os laudos cadavéricos apontam indícios de execução.

(Foto: Arisson Marinho/Correio*)

Em nota, a ONG afirmou que o governador Rui Costa vem “negando de forma reiterada” os pedidos da própria Anistia, da Campanha Reaja ou Será Morto e de órgãos como a Ordem dos Advogados do Brasil - (OAB-BA) para tomar conhecimento dos laudos e da investigação.

Leia também:
DHPP aguarda laudos para marcar reconstituição das mortes no Cabula
Ativista chora ao saber de laudos: ‘Acreditamos que haverá justiça’

A nota ainda aponta que “as informações divulgadas pelo jornal são de fundamental importância para a sociedade” e reforçam os relatos de moradores. “Os indícios apontados pela reportagem mostram a gravidade e urgência de resolução do caso Cabula. É preciso aprofundar o diálogo com a sociedade civil e os moradores para que este não se torne mais um exemplo de impunidade”, declarou Átila Roque, diretor executivo da AI.

A ONG reforçou o apelo pelo afastamento dos PMs e pela proteção das testemunhas. A PM informou que os PMs envolvidos na operação continuam trabalhando em “expediente operacional” e seguem com acompanhamento psicológico. Já o governo do estado não se posicionou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas