Ao "estilo Guto", Bahia sofreu apenas um gol em quatros jogos na Série B

e.c. bahia
28.04.2022, 05:00:00
Após início de oscilação, treinador conseguiu dar a sua cara ao time do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Ao "estilo Guto", Bahia sofreu apenas um gol em quatros jogos na Série B

Solidez defensiva é marca do tricolor no início do Brasileirão

O início do Bahia na Série B tem deixado os torcedores animados. O triunfo sobre o Sampaio Corrêa, por 1x0, na Fonte Nova, fez o Esquadrão chegar aos 10 pontos e manteve o clube na liderança isolada do Brasileirão depois de quatro rodadas. A boa fase da equipe pode ser explicada pela solidez defensiva, algo característico dos times treinados por Guto Ferreira. 

Nas quatro partidas, o Bahia chamou a atenção pelo forte poder de marcação. Contra o Sampaio Corrêa, o tricolor até deu algumas brechas em falhas individuais que poderiam ter originado gols do adversário. Mas no todo, a equipe se manteve equilibrada e conseguiu neutralizar o ataque rival. 

A prova de que o bom momento passa pela defesa está nos números na competição. O time sofreu apenas um gol na Série B, no empate em 1x1 com o CSA, fora de casa. O desempenho coloca o Bahia como o menos vazado do torneio, ao lado de Chapecoense e Sport. 

“A marcação começa lá na frente, com centroavante, o 10... E o trabalho de área, embora a gente tenha tomado um gol contra o CSA, embora tenha sido um erro de encaixe, tem sido o nosso forte, esse encaixe dentro da área. Eles colocam a bola na área e não conseguem finalizar. O nosso comportamento na linha, a nossa equipe tem fechado bem. Acho que o posicionamento tem sido muito positivo”, analisou Guto.

O treinador, no entanto, reconhece que a equipe ainda precisa de alguns ajustes. Enquanto o miolo de zaga conseguiu boa evolução com a dupla formada por Ignácio e Luiz Otávio, nas laterais Douglas Borel e Luiz Henrique apresentam certa fragilidade defensiva. Mesmo assim, o início de campeonato com poucos gols sofridos dá sinais de que a equipe não deve repetir as últimas temporadas, quando figurou entre as piores defesas da Série A. 

“A gente tem trabalhado bastante. Quando precisamos marcar mais alto, temos conseguido roubar mais bolas. Só que, com o passar do tempo e sequência dos jogos, estamos baixando a linha de marcação. E aí o contra-ataque fica longo e começamos a desgastar os jogadores”, completou Guto Ferreira.

Cara do treinador
Nos dois jogos em que atuou em casa, o Bahia não sofreu gols na Série B e, até aqui, o time vai seguindo à risca o perfil característico de Guto Ferreira: solidez defensiva e eficiência no ataque. 

A exemplo de comparação, em 2016, quando conquistou o acesso à Série A, o Bahia de Gordiola levou apenas sete gols em 13 jogos como mandante. Uma média de 0,53  por partida. Em toda a campanha sob o comando do treinador, foram 20 tentos sofridos em 26 confrontos. 

O mando de campo, por sinal, foi fator preponderante para a arrancada tricolor naquele ano. Dos 63 pontos que deixaram o Esquadrão na 4ª colocação, 47 foram conquistados como mandante. O time venceu todos os nove jogos que disputou nos seus domínios no segundo turno.

Nesta sexta-feira (29), o Bahia tem mais um compromisso. Encara o Ituano no estádio Novelli Júnior, na cidade de Itu, em São Paulo, às 21h30, pela 5ª rodada. Será mais uma chance para somar pontos e seguir na ponta da tabela.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas