Apesar de jogo ruim, Jardine acredita que Brasil fez por merecer a classificação para final

esportes
03.08.2021, 09:14:00
Atualizado: 03.08.2021, 09:22:38
André Jardine durante treino da seleção no Japão (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Apesar de jogo ruim, Jardine acredita que Brasil fez por merecer a classificação para final

Briga pelo ouro acontece no próximo sábado; Brasil espera resultado de jogo entre Japão e Espanha para conhecer adversário

A vitória por 4x1 nos pênaltis contra o México pela semifinal da Olimpíada de Tóquio colocou a seleção brasileira na terceira final consecutiva dos Jogos. A partida do Brasil durante os 120 minutos não foi das melhores, mas foi suficiente para avançar principalmente com a extrema precisão brasileira na marca da cal. De um lado, os cobradores tiveram 100% de aproveitamento e Richarlison, que seria o quinto cobrador, nem precisou bater. Do outro, Santos pegou a primeira cobrança e estava na segunda, mas nem precisou agarrar porque a bola bateu na trave e saiu. 

Técnico da seleção olímpica, André Jardine cravou que o Brasil fez por merecer a classificação e parabenizou os jogadores pela partida feita. Segundo o treinador, o Brasil não correu riscos e procurou o gol durante todo o jogo.

"A classificação nos pênaltis, na minha opinião, coroou a equipe que procurou o tempo todo o ataque, para se classificar no tempo de jogo. Fizemos por merecer, e ao final o sentimento foi esse. Se fazemos por merecer durante o jogo, as coisas acontecem nos pênaltis", disse em entrevista à TV Globo.

Capitão da seleção, Daniel Alves abriu a série das cobranças de pênaltis e conseguiu superar o goleiro Ochoa, que ainda triscou a bola após a batida do baiano de Juazeiro. Para o camisa 13, o campo irregular foi prejudicial à proposta de jogo da seleção e isso acabou influenciando para que a exibição do Brasil fosse abaixo do esperado. 

"Num campo irregular assim, tem que dar um toque a mais na bola, a condução foi atrapalhada. Tivemos chances de ganhar o jogo, mas não foi possível. Acho que o destino queria que fosse desse jeito. Respeito muito a equipe do México, gosto muito. Mas só pôde passar um e, felizmente, foi a gente", disse Daniel. 

Daniel comemora conversão na primeira cobrança de pênaltis. Baiano já tem medalha olímpica garantida e busca mais um título para sua coleção, que é a maior do futebol em toda a história, com 41 troféus (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Será a quinta final olímpica do Brasil no futebol masculino, que venceu os jogos na última vez que a disputou, no Rio-2016. A seleção também foi finalista nas edições de 1984, 1988 e 2012 - ficando com a prata em todas essas edições.

A Seleção aguarda o resultado do jogo entre Japão e Espanha para saber com quem faz a briga pelo bicampeonato olímpico a partir das 8h30, no Estádio Internacional de Yokohama. Foi lá onde o Brasil conquistou o penta em 2002, ao vencer a Alemanha por 2x0 na final da Copa do Mundo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas