Aplausaço homenageia Paulo Gustavo e vítimas da covid

entretenimento
06.05.2021, 00:41:00
Atualizado: 06.05.2021, 05:27:50
Artistas, amigos e a prefeitura de Niterói convocaram um "aplausaço" para a despedida de Paulo Gustavo (PEDRO CONFORTE/ESTADÃO CONTEÚDO)

Aplausaço homenageia Paulo Gustavo e vítimas da covid

Corpo do ator será cremado em cerimônia restrita nesta quinta (6)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foi uma despedida como manda os novos tempos e à altura da popularidade do ator Paulo Gustavo, que morreu terça (4) , depois de um mês e meio internado por causa da covid-19: cada um na sua janela, mas aplaudindo o humorista que conquistou o Brasil com personagens divertidos, irônicos e sem papas na língua, e que dialogavam com os mais distintos públicos.   

Moradores de bairros do Rio e de Niterói, cidade natal de Paulo Gustavo, foram às janelas nesta quarta (5) às 20h, para aplaudi-lo. A homenagem se estendeu a todas as vítimas da pandemia e, em alguns locais, se confundiu com protestos contra o presidente Jair Bolsonaro. 

A manifestação reproduziu a cena que acompanhou o artista desde o início da carreira, pelas plateias de todo o país: o público o ovacionando no final de um dos espetáculos que apresentou, como Minha Mãe é Uma Peça, 220 Volts e Hiperativo.

O último aplauso foi convocado pelas redes sociais. Em Niterói, o convite partiu da prefeitura. “O Brasil aplaude Paulo Gustavo e todos os brasileiros que se foram pela covid. Vá para a janela e demonstre sua solidariedade e indignação!”, dizia um dos cartazes distribuídos nas redes sociais.

A campanha foi promovida pelo movimento 342 Artes e incentivada por artistas como Caetano Veloso, Paula Lavigne, Giovanni Bianco, Danielle Winits, Christiane Torloni e Regina Casé, entre outros. O médico Thales Bretas, viúvo de Paulo Gustavo, também divulgou a homenagem em seu Instagram. “Não estou conseguindo responder a todas as manifestações de carinho e amor, mensagens... Mas essa espero ansiosamente”, publicou ele.

Em Niterói, onde mora a mãe do ator, Déa Lúcia Vieira Amaral, os aplausos começaram pontualmente às 20h. A prefeitura - que decretou três dias de luto - abriu consulta pública para dar o nome de Paulo Gustavo a uma das ruas principais do bairro onde o humorista viveu a maior parte da vida, no bairro de Icaraí, zona sul da cidade. No Rio, houve homenagens e protestos em Copacabana, Grajaú, Leme, Botafogo e Bairro Peixoto, entre outros.

Cremação

Após ser velado durante o dia de ontem, no Theatro Municipal do Rio, o corpo de Paulo Gustavo será cremado hoje, em cerimônia fechada para a família e amigos. O local e o horário da cremação não foi divulgado, para evitar aglomerações.   

Desde o anúncio da morte do ator, na noite de terça, as homenagens se multiplicam - tanto de famosos quanto de anônimas - dando a dimensão do quanto o carioca era admirado. E também de como sua morte simbolizou a dor de muitas famílias que perderam entes queridos para o coronavírus.

A quarta foi marcada por exibição de entrevistas e filmes protagonizados por Paulo Gustavo na televisão. E até no  Supremo Tribunal Federal, o ministro Luiz Fux abriu a sessão lamentando: “Em nome dele, e de várias famílias enlutadas, esta Corte se solidariza com os familiares e amigos de todas vítimas desta tenebrosa doença”, disse Fux.

Uma das homenagens mais emocionantes foi de Thales Bretas, que destacou  que “ainda é muito difícil processar tudo o que aconteceu nos últimos dias”, fazendo referência aos 53 dias em que Paulo ficou internado. “Nossa caminhada tinha tudo pra ser longa! Linda como vinha sendo... Tão feliz! E foi muito!”. 

Thales também falou sobre como foi feliz com o marido, com quem tem dois filhos, Gael e Romeu, nesses últimos sete anos. “Como eu aprendi, cresci! Espero poder passar um pouco do seu legado de generosidade, afeto, alegria e amor. Você é um furacão! Uma estrela que brilhou muito aqui na Terra, e vai brilhar ainda mais no céu, olhando pela nossa família sempre!!! Eu te amo tanto... e sempre te amarei, pro resto da minha vida!”, disse.

fernandona
Fernanda Montenegro (Foto: reprodução)

Beyoncé e fernandona

Entre os artistas que lamentaram a partida precoce do ator, chamou atenção a mensagem da diva pop Beyoncé. Em seu site oficial, a cantora americana publicou uma foto de Paulo com a mensagem: “Descanse em paz”. O ator era fã declarado da artista, e na noite de ontem um vídeo onde ele aparece apertando a mão dela durante um show rodou nas redes sociais.

A atriz Fernanda Montenegro, de quem também o ator era fã, postou um texto em suas redes sociais, lamentando que Paulo Gustavo tenha morrido no momento máximo de sua realização “como ator, artista, como um sagrado provocador, como um ser aglutinador, um criador, um libertário”.

A artista ainda se referiu a um dos últimos vídeos de Paulo Gustavo, no qual ele desejava um feliz Ano Novo aos brasileiros e pedia mais paciência e esperança para vencer a covid. “Sim, Paulo Gustavo ‘rir é um ato de resistência’. “Com sua ausência, o nosso mundo cultural/teatral ficou ainda mais pobre, nesse momento trágico que vivemos. Você é e será sempre um referencial deslumbrante como ser humano” escreveu Fernanda Montenegro. 


 País de luto 

O sentimento de tristeza que tomou conta do país com a morte prematura de Paulo Gustavo foi medido em um  levantamento feito pela empresa de análise de dados Ap Exata, em parceria com o Banco ModalMais. 
Segundo as empresas, o sentimento de tristeza no Twitter cresceu 10 pontos porcentuais entre terça e quarta-feira, de 33% para 43%. O levantamento utiliza inteligência artificial para identificar as variações comportamentais na rede social em 145 cidades brasileiras, desde o início do atual governo.

Segundo o levantamento, muitos internautas responsabilizam o presidente pela morte de uma pessoa de 42 anos de uma doença para a qual existe vacina. E citou o texto de Caetano Veloso, no qual ele lamenta a vulnerabilidade do país durante a pandemia, como síntese do sentimento: “É significativo que a notícia de sua morte chegue no dia em que se abre a CPI da covid no Senado Federal”, escreveu Caetano.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas