Após contratar goleiro Bruno, Boa Esporte perde primeiro patrocinador

esportes
12.03.2017, 13:51:00
Atualizado: 12.03.2017, 13:55:19

Após contratar goleiro Bruno, Boa Esporte perde primeiro patrocinador

Uma das empresas que apoiava o time, a Nutrends Nutrition decidiu, na noite deste sábado, deixar de estampar a sua marca na camisa

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A contratação do goleiro Bruno por dois anos pelo Boa Esporte, equipe de Varginha, no Sul de Minas, gerou polêmica e críticas ao clube e aos patrocinadores e gerou deu consequências para o clube. Uma das empresas que apoiava o time decidiu, na noite deste sábado, deixar de estampar a sua marca na camisa. A Nutrends Nutrition afirmou, depois de reunião, que não vai mais patrocinar o Boa.

Bruno posa com a camisa do Boa, ao lado de advogado, empresário e dirigentes do clube mineiro
(Foto: Divulgação)


Em nota divulgada no Facebook, a empresa de suplementos alimentares anunciou o fim do contrato. "Em reunião extraordinária, a diretoria da Nutrends Nutrition decidiu que, a partir de hoje (sábado, 11/03), a empresa não é mais patrocinadora/apoiadora do Boa Esporte Clube", diz o documento. Em poucos minutos, vários internautas apoiaram a decisão.

“Parabéns pela sensata decisão de não vincular a imagem da empresa a um time que contrata assassinos! Parabéns por ouvir seus consumidores! Vocês ganharam meu respeito”, comentou uma seguidora da empresa. “Que todos os outros patrocinadores sigam este exemplo!!! Apoio a time de assassino é ser conivente com o crime!!!”, cobrou outro fã da marca. “Parabéns! Apoiar time que contrata feminicida seria péssimo para a imagem de qualquer empresa”, manifestou-se outro cliente da Nutrends.

Segunda chance 
Diferentemente da Nutrends, o grupo Grupo Góis & Silva não deve deixar de estampar a sua marca na camisa do Boa. O executivo da empresa, Rafael Góis, disse que o atleta cometeu “um ato extremamente grave”, mas que ele merece uma segunda chance. Assegurou ainda a continuação da parceria com o time do Sul do estado.

"O passado do Bruno foi conturbado, polêmico, com um ato extremamente grave e que gera revolta em muitas pessoas. Mas cabe salientar que foi a Justiça que o libertou, tendo em vista que já cumpriu parte de sua pena, continua sob pena, mas em trabalho de ressocialização. E o trabalho faz parte desta nova fase da sua vida. Nossa empresa acredita na ressocialização, e a favor de (dar ao goleiro uma) uma segunda chance”, escreveu Góis no Facebook.

Novo contrato após sair da prisão
Bruno acertou nessa sexta-feira o contrato por duas temporadas com o Boa Esporte. Já este ano, ele poderá disputar o Módulo II do Campeonato Mineiro e a Série B do Campeonato Brasileiro. Desde que saiu da cadeia, em 24 de fevereiro, os advogados do atleta afirmavam que ele tinha aproximadamente dez propostas para voltar aos gramados.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas