Após Macron cancelar eventos públicos, Volta da França é adiada

esportes
14.04.2020, 18:27:33
Atualizado: 14.04.2020, 18:35:14
(Foto: Alex Broadway/ASO/Tour de France/Divulgação)

Após Macron cancelar eventos públicos, Volta da França é adiada

Famosa prova de ciclismo aconteceria no dia 27 de junho, em Nice

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Depois de semanas agarrados à esperança de que a Volta da França poderia ser realizada apesar da pandemia de coronavírus, a prova mais emblemática do ciclismo finalmente se juntou à lista de competições esportivas que foram adiadas.

Ainda que possa acontecer neste ano, a competição de três semanas não vai mais começar em 27 de junho em Nice, a cidade localizada na Riviera Francesa, conforme planejado. A decisão foi tomada após o presidente da França, Emmanuel Macron, anunciar que todos os grandes eventos públicos estão cancelados pelo menos até meados de julho.

"Como agora é impossível que a Volta da França comece na data programada, estamos em consultas com a União Ciclística Internacional para encontrar novas datas", disseram os organizadores nesta terça-feira.

A última vez em que uma edição da prova anual não ocorreu foi em 1946, quando a França emergia após a Segunda Guerra Mundial. Para evitar isso, os organizadores estão avaliando outras datas. Os novos planos poderão ser anunciados no final de abril, depois de reuniões entre a empresa organizadora, a Amaury Sport Organization, e a UCI.

Realizar a corrida sem a presença de legiões de espectadores ao lado do percurso, uma ideia previamente proposta por a ministra do esporte Roxana Maracineanu, não era algo apreciado pelo organizadores.

Ano após ano, milhões de pessoas assistem a Volta da França, em um ambiente festivo em várias regiões do país. A edição deste ano tem 21 etapas. Isso exige o deslocamento de milhares de policiais para monitorar multidões, além de garantir que os ciclistas possam pedalar sem serem atrapalhados.

Os participantes também precisam estar em excelentes condições físicas. Após semanas de confinamento em suas casas, os ciclistas deverão precisar de várias semanas de treinamento para ficar em forma. As fronteiras também terão que ser abertas, para que participantes como o campeão do ano passado - o colombiano Egan Bernal - possam viajar para a França.

Outra complicação é modificar o calendário mundial de ciclismo. O Giro D'Italia, que seria realizado em maio, foi adiado no mês passado. A Volta da Espanha ainda mantém as datas originais, de 14 de agosto a 6 de setembro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas