Após se atrasar, Mayweather arrasa jovem japonês no 1º round

esportes
31.12.2018, 12:05:38
Mayweather observa Nasukawa no chão, após dar mais um knockdown no japonês (Toshifumi Kitamura/AFP)

Após se atrasar, Mayweather arrasa jovem japonês no 1º round

Ex-campeão mundial de boxe faturou cerca de R$ 340 milhões em luta exibição

Floyd Mayweather Jr. deu mais um recado a quem acha que vai ser fácil tirar sua invecibilidade. Mesmo aposentado, o ex-pugilista americano, de 41 anos, topou uma luta de exibição contra a sensação japonesa Tenshin Nasukawa, de 20 anos. Tudo pela bagatela de US$ 88 milhões, cerca de R$ 340 millhões.

Pois bem, na manhã desta segunda (31), no Brasil, noite no Japão, 'Money' arrasou o prodígio nipônico, que conta com cartel invicto de 28 vitórias no kickboxing e de quatro triunfos no MMA. Ainda no 1º round, Mayweather levou Nasukawa à lona por três vezes, forçando o corner do garoto a jogar a toalha. O americano comemorou dançando no ringue do Rizin 14, evento de MMA.

A luta quase não acontece. O ex-campeão de boxe se atrasou em mais de duas horas e houve a suspeita de que ele estava exigindo mais dinheiro para entrar no ringue ou que tinha ido embora do Japão. Vale lembrar que houve uma grande confusão quando a luta foi marcada. Mayweather chegou a desmentir o combate e, depois, o confirmou.

Como pugilista, Money ostenta o retrospecto de 50 vitórias em 50 lutas, com títulos mundiais em cinco categorias diferentes. Ele se aposentou oficialmente em 2015, mas voltou em 2017 para fazer uma luta contra o irlandês Conor McGregor, atleta do UFC, nas regras oficiais do boxe. O americano venceu por nocaute técnico no 10º round. 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas