Após vaias, Brasil busca evolução na Copa América

esportes
20.06.2019, 05:00:00
Tite convive com as críticas e o desafio de fazer o Brasil jogar bem (Foto: Pedro Martins/Mowa Press)

Após vaias, Brasil busca evolução na Copa América

Tite garante que vai encontrar encaixe da Seleção, mas tem pouco tempo na missão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O triunfo por 3x0 sobre a Bolívia, na estreia, não mascarou o desempenho ruim da Seleção Brasileira neste início de Copa América. Se no Morumbi, em São Paulo, vaias foram ouvidas, durante o empate por 0x0 com a Venezuela, na Fonte Nova, a história não foi diferente. 

Nos dois jogos que fez até aqui na competição continental, o Brasil teve posse de  bola superior a 70%, mas isso não se refletiu em chances criadas. Diante da Bolívia, por exemplo, o ataque até conseguiu ser efetivo e balançou as redes três vezes, mas foram apenas cinco finalizações no gol. 

Quando pegou um time mais ajustado, o Brasil sofreu. David Neres e Richarlison não conseguiram quebrar as linhas venezuelanas e pouco chegaram na frente. Apagado, Coutinho foi outro que não conseguiu municiar o ataque brasileiro. Para o técnico Tite, a equipe está em evolução e vai encontrar o encaixe ideal no decorrer do torneio.

“Coutinho foi muito bem marcado. Eles concentraram muito na faixa central, ficou difícil para ele receber no plano mais avançado. Eles (Venezuela) fecharam o eixo central, deram certa liberdade para a saída do Marquinhos, do Thiago Silva, do Casemiro, mas não deixavam a bola chegar ao Coutinho e ao Firmino. Ficaram estrategicamente prejudicados. Temos de criar alternativas, sim, e daqui a pouco haverá essa retomada dele e do próprio Firmino. A tendência é de crescimento, me cobrem lá na frente”, garantiu o treinador brasileiro. 

Entre os inimigos para encontrar tais alternativas está o tempo. Nesta quarta-feira (19), o Brasil voltou aos treinos no Barradão, o último na passagem por Salvador. Logo depois, a delegação embarcou para São Paulo, local do próximo desafio, sábado, contra o Peru, na Arena do Corinthians. 

Tite não garantiu nada, mas o atacante Everton Cebolinha surge como possibilidade para entrar no time titular diante dos peruanos. David Neres e Richarlison seriam os ameaçados. 

“Sabemos que qualquer bobeada a gente pode se complicar na competição. É não ser afoito, estamos jogando em casa, temos que trazer a torcida para o nosso lado e tenho certeza que ela vai nos apoiar”, disse Everton após ter o nome gritado pela torcida verde e amarela na Fonte Nova. 

Outra opção para Tite é manter o esquema com dois atacantes, com Gabriel Jesus e Firmino, como fez no segundo tempo do empate com a Venezuela. Assim, Coutinho jogaria aberto em uma das pontas enquanto o camisa 20 atuaria como uma espécie de meia de ligação.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas