Arrocha teen: cantor de 13 anos lança primeiro CD

entretenimento
27.08.2019, 05:50:00
Bruno Rayone: agenda cheia e muita sofrência (Reprodução/instagram)

Arrocha teen: cantor de 13 anos lança primeiro CD

Bruno Rayone tem o álbum O Fenômeno encartado no CORREIO desta terça (27)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O cantor Bruno Rayone é a nova aposta do cenário musical baiano. Com apenas 13 anos, o  adolescente  lança hoje seu primeiro CD, batizado de O Fenômeno, que tem  35 mil cópias encartadas no CORREIO  de hoje .

Estudante do ensino médio, Bruno frequenta a escola e faz  tudo mais  que um menino de sua idade faz. E quando está ensaiando ou tem que viajar para cumprir agenda,  e pede licença à escola e depois repõe as aulas perdidas.

O CD reúne 18 músicas, incluindo o pout-porri Modão. O repertório inclui uma canção autoral, Ex- amiga, assinada  em parceria com o colega de infância, Ítalo Santos. Além de regravações, a exemplo de Delicinha, de Gabriel Brava, e Sábado à Noite de Xand Aviões. 

Tudo em sintonia com a turma da sua geração e suas preferências musicais. Em conversa com o jornal , Bruno Rayone falou como um adulto que tem experiência no show business.

 

“Eu gosto muito de ouvir música sertaneja, forró e arrocha. E tenho como meu ídolo o cantor Tayrone, que tem parentesco com minha mãe”, disse, completando  cheio de orgulho: “Tayrone foi quem me deu a primeira oportunidade, antes mesmo de lançar minha carreira-solo. Ele me chamou para cantar com ele no palco. Para mim isso foi muito importante”, conta. A escolha de Tayrone não foi acaso. Além de admirar o estilo do artista, Bruno  também tem origem cigana.

Natural da cidede de  Conceição do Coité, no nordeste do estado, Bruno foi criado na  Cansanção, também no interior baiano.  E foi lá que  a música entrou em sua vida, alimentando desde muito cedo o sonho de se tornar cantor. Com apenas quatro anos, ele começou a cantarolar e tentar tocar os primeiros acordes em casa. 

O primeiro registro musical veio com  o CD promocional Ex-Amiga, cujo hit homônimo já   ultrapassou 500 mil visualizações. É justamente esta canção escolhida para abrir o CD O Fenômeno. Na letra, como em outras músicas do trabalho, ele fala de encontros e desencontros amorosos, traições e pequenas vinganças de amor. Ex-Amiga já rendeu um clipe, disponível no youtube.

È o mesmo clima de músravar como Te Amei Até Onde Deu, Salvou Meu Dia e Todo Mundo Vai Sofrer. Mas na vida real, diz Bruno, nada de relacionamentos sérios:  “Como todo jovem de minha idade eu tenho minhas paqueras. Mas nada de oficial. Meu foco agora é a música e minha carreira”, diz o ciganinho.     

Repertório misturado

Com agenda de fazer inveja a muita gente que está no mercado há muito tempo, Bruno realiza uma  média de 12 a 16 shows por mês,  desde que começou a atuar profissionalmente, em  junho passado, aproveitando os festejos juninos. 

Cidades baianas como Jacobina, Baixa Grande e Irecê,  assim como Maceió, capital de Alagoas tem uma legião de admiradores que sempre recebem  bem o artista, que planeja gravar seu primeiro DVD.

Claro que com apenas 13 anos, Bruno só viaja com a presença de seu pai, Nilson, que está sempre atento ao artista precoce. Bruno entra no time integrado por artistas como o cantor Hiago Danadinho, de 16 anos, que durante um tempo integrou a banda La Fúria e agora segue em carreira-solo. Danadinho atua mais na área do pagode, enquanto Rayone aposta todas as fichas na sofrência.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas