Arte: Orixás inspiram série de fotos com intervenções digitais de jovem baiano

bazar
05.04.2016, 18:20:00

Arte: Orixás inspiram série de fotos com intervenções digitais de jovem baiano

E o mais incrível: ele fez tudo no paint, com o mouse

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Iemanjá, Iansã, Ogum e Nanã são alguns dos orixás que o artista visual Tauan Carmo, 22, conseguiu enxergar em fotos de amigos. Munido apenas de um mouse e de um dos mais básicos programas de pintura do Windows, o Paint, ele conseguiu fazer lindas intervenções sobre as imagens. O trabalho deu origem à série que ele chama de Editorial Orixás. Confira entrevista com o rapaz, que chega a fazer algumas das obras em até 20 minutos!

Iemanjá

Como é sua relação com o desenho?
Desenho desde sempre. Sempre fui apaixonado pela arte. Apesar de este ano estar me formando em engenharia de produção, eu sinto que meu coração é puramente da arte. Sabe, já sofri de depressão e a arte me salvou. Fora que é bastante gratificante o carinho que recebo. A beleza em geral me inspira bastante. Por exemplo, a beleza da cultura afro me encanta, os adereços dos orixás, as vestimentas, as armas... Dar visibilidade a isso me inspirou bastante.

Omolu

Fez algum curso na área?
Até agora não. Nem de fotografia, nem de design. Os desenhos são feitos no paint, coloco a foto lá e desenho em cima dela. O pessoal fica me perguntando como é que eu consigo fazer isso! Sempre brinquei no paint, até mesmo nas aulas de informática na escola. Com o tempo fui aperfeiçoando a técnica.

Exu

Como surgiu a série Orixás?
A série orixás começou quando eu vi a foto de um amigo, o Edgar Azevedo. Tinha uma legenda que se referia ao orixá Ogum e na hora eu associei a imagem do orixá à de Edgar. Desenhei em cima da foto dele as vestimentas do orixá e mandei para ele. Outra amiga viu e pediu pra eu fazer numa foto dela a orixá Oxum. Fiz e ela amou. A partir daí fui lembrando de amigos que tinham alguma relação com algum orixá e fui fazendo. Ia no álbum da pessoa, escolhia uma foto e trabalhava em cima dela. Felizmente todos adoraram e o editorial saiu. Expus no evento Vários Tons, que aconteceu no último domingo no Passeio Público.

&nb

Iansã

Você tem aquelas canetinhas de desenho no computador ou faz no mouse mesmo?
Com o mouse mesmo, por isso o espanto da galera! Eles perguntam: como você consegue? (risos) O tempo que eu demoro para fazer, depende da inspiração. Tem vezes que eu consigo fazer em 20 minutos ou até menos. Alguns mais trabalhosos podem levar até 40 minutos. Coloco uma musiquinha boa no fone e mando ver! Se a música estiver relacionada com o motivo do desenho fica melhor ainda. Tipo no editorial dos orixás eu adorava ouvir Maria Bethânia. "Não mexe comigo que eu não ando só" (risos). Mas em geral gosto de ouvir Amy Winehouse e Etta James. Em alguns outros desenhos, como caricaturas, uso um programa chamado Photofiltre para auxiliar nos formatos. Mas os ajustes finais e as cores são no Paint.

Onde dá para ver essas e outras obras do artista?
Na página do rapaz no Facebook e no perfil no Instagram. Fica a dica :)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas