Associação Nacional de Jornais repudia agressões sofridas por jornalista do CORREIO

salvador
16.03.2021, 11:38:22
(Paula Fróes/CORREIO)

Associação Nacional de Jornais repudia agressões sofridas por jornalista do CORREIO

Caso aconteceu durante manifestação bolsonarista neste domingo (14) em Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) emitiu nesta terça-feira (16) notas de repúdio contra as agressões verbais sofridas pela repórter-fotográfica Paula Fróes, do jornal CORREIO*, em manifestação bolsonarista ocorrida no domingo (14) em Salvador e pelo repórter-fotográfico do jornal Estado de Minas durante cobertura que fazia ontem (15) de manifestação ocorrida no centro de Belo Horizonte.

"A intimidação feita por manifestantes demonstra intolerância e incompreensão da atividade jornalística. A ANJ assinala que um dos agressores já foi identificado, o que certamente facilitará o trabalho de apuração da polícia. É essencial que episódios como este sejam rapidamente esclarecidos, com o encaminhamento dos agressores à Justiça. A sociedade e suas instituições devem reagir com eficiência e rigor em defesa da atividade jornalística e da liberdade de imprensa, que são fundamentais para o exercício da cidadania", diz a nota em apoio à Paula e ao Correio*.

Ao registrar imagens da manifestação em apoio ao governo federal, a fotojornalista foi chamada de "palhaça" e "vagabunda", entre outras ofensas. Ela também foi cercada no local pelos manifestantes e apoiadores Jair Bolsonaro.

No caso do Estado de Minas, o fotógrafo chegou a ser agredido fisicamente, sendo atingido por golpes de capacete, de um cabo de uma bandeira, além de pontapés.

"Os agressores atentaram contra a integridade física de um cidadão e também contra o direito de todos serem livremente informados, já que o repórter-fotográfico estava trabalhando para levar ao público informações sobre a manifestação. A integridade física e moral dos jornalistas é parte fundamental do exercício da liberdade de imprensa. A ANJ espera que as autoridades identifiquem rapidamente os agressores e os encaminhem à Justiça, para que sejam punidos, nos termos da lei. O extremismo e a intolerância contra jornalistas atingem a toda a sociedade", afirma a nota da ANJ em relação ao caso do jornal mineiro.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048