Atividades culturais online diminuíram estresse e solidão na pandemia

entretenimento
20.10.2020, 19:28:00
Atualizado: 20.10.2020, 19:28:56
(Foto: Unsplash)

Atividades culturais online diminuíram estresse e solidão na pandemia

Programação cultural na web provocou melhora no relacionamento com as outras pessoas da casa

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os brasileiros que realizaram atividades culturais durante a pandemia avaliam positivamente os impactos da prática para a saúde mental e a convivência social. Para 58% dos entrevistados, o consumo de programação cultural na web provocou uma melhora no relacionamento com as outras pessoas da casa. O fenômeno foi especialmente impactante para os indivíduos entre 45 e 65 anos, segmento no qual o índice chegou a 66%. A pesquisa foi feita pelo Itaú Cultural/Datafolha.

O número dos idosos é semelhante para pessoas com menor escolaridade, estrato em que 65% declaram melhora no relacionamento doméstico. Os benefícios para o convívio em casa foram mais percebidos pelos homens (63%) do que pelas mulheres (54%).

De acordo com a pesquisa, 54%, declararam que as atividades culturais na web ajudaram a diminuir a sensação de solidão e 45% apontaram redução do estresse e da ansiedade. Para 44% o consumo de cultura virtual na pandemia contribuiu para melhorar a qualidade de vida de forma geral.

“A pesquisa deixa evidente como o mundo cultural acolheu virtualmente as pessoas neste momento tão difícil para todos, como também o quanto os brasileiros estão usufruindo intensamente de conteúdos culturais neste território da web”, avalia Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural.

De acordo com o levantamento, 71% declararam acessar a web todos os dias, enquanto 29% estão no grupo dos que nunca acessam ou o fazem com pouca frequência.

O levantamento ouviu, por telefone, 1.521 indivíduos, de 16 a 65 anos, em todas as regiões do país, entre os dias 5 e 14 de setembro. A pesquisa tem margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

Cultura

O levantamento investigou também os hábitos de consumo cultural na web. Entre os que acessam a internet, 84% dizem ouvir música na rede, 73% declaram assistir filmes e séries e 60% dizem assistir shows no ambiente virtual.

A leitura de livros digitais foi mencionada por 38% do estrato dos que acessam a rede, mesmo índice dos que mencionaram cursos livres como atividade realizada no período.

Jogos eletrônicos foram apontados 34%, seguidos por webinars (32%), atividades infantis (28%), podcasts (26%), espetáculos de teatro (21%) e visitas a museus e exposições (17%). 5% não responderam.

Os brasileiros também viram nas atividades virtuais um salto no acesso a cultura. 67% dos entrevistados apontaram melhora na democratização do acesso a conteúdo do gênero nas redes. Com este impacto positivo, 56% declararam ter ficado mais interessados no consumo de atividades culturais na web.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas