Atlético de Alagoinhas e Jacuipense farão a final do Campeonato Baiano

esportes
30.03.2022, 23:35:00
Jogadores do Atlético comemoram a vaga na decisão (Arisson Marinho/ CORREIO)

Atlético de Alagoinhas e Jacuipense farão a final do Campeonato Baiano

Carcará e Leão do Sisal se enfrentarão nos próximos dois domingos

A final do Campeonato Baiano 2022 será disputada entre Atlético de Alagoinhas e Jacuipense. Os dois times confirmaram vagas na decisão do estadual nesta quarta-feira (30), ao eliminarem Bahia de Feira e Barcelona de Ilhéus, respectivamente. As partidas da decisão estão marcadas para este domingo, dia 3, em Alagoinhas, e o seguinte, dia 10, em Riachão do Jacuípe, ambas às 16h.

O Carcará, que já havia batido o Tremendão na ida, na Arena Cajueiro, por 1x0, voltou a ganhar, dessa vez no Carneirão, pelo mesmo placar. O único gol do duelo foi marcado pelo atacante Thiaguinho, aos 46 segundos do segundo tempo. Vale lembrar que foi dele também o tento marcado no primeiro encontro entre as equipes, no final de semana passado. 

Já o Jacuipense derrotou o Barcelona de Ilhéus por 1x0 depois de empatar no embate de ida, fora de casa, em 0x0. O gol foi de Welder. 

Essa será a quarta final do Atlético, que é o atual campeão, batendo o Bahia de Feira no ano passado. Antes, havia sido vice nas temporadas de 1973 e 2020. Se faturar o título mais uma vez, o Carcará se tornará o primeiro time do interior a conquistar dois títulos seguidos do Baianão. 

A equipe do técnico Agnaldo Liz também pode virar o segundo clube fora da capital a se tornar bi do estadual. Até aqui, só o Fluminense de Feira conseguiu o feito, levantando o caneco em 1963 e 1969. 

O Atlético, unindo as duas fases, acumulou 23 pontos. Foram sete vitórias, dois empates e duas derrotas nos 11 jogos disputados, com 19 gols marcados e 10 sofridos. O rendimento é de 69,7%.

Depois do apito final, o meia Miller, autor de cinco gols no Baianão e um dos destaques do campeonato, falou sobre a classificação. Para ele, o Carcará foi premiado após ter um início irregular. “No começo a gente oscilou bastante, mas é normal, muita competição. Mas é isso, a força do grupo, muito forte. Agradecer a torcida por ter vindo, lotado o Carneirão. Agora é descansar e focar, pois essa final vai ser muito difícil”, afirmou. 

Do outro lado do campo estará uma equipe que sonha com seu primeiro título e vem fazendo bonito no campeonato. O Jacuipense foi o líder absoluto da primeira fase e chegou a ter uma sequência de sete vitórias seguidas. A campanha impressionante rendeu ao Leão do Sisal uma vantagem no mata-mata. 

Por ter melhor pontuação no campeonato, a equipe do técnico Rodrigo Chagas ganhou o direito de decidir o título em casa. Somando a primeira etapa com as semis, foram 25 pontos assegurados, com oito vitórias, um empate e duas derrotas - aproveitamento de 75,7%. 

O Leão do Sisal também tem, até aqui, o melhor ataque: 20 gols nos 11 duelos disputados. É uma média de quase dois gols por partida.

Welder festeja o gol do Jacupa (Lucas Pena/ EC Jacuipense)

Os jogos
As duas partidas foram bem disputadas. No Carneirão, o Atlético voltou a mostrar o motivo de estar em ótima fase e dominou o confronto praticamente durante os 90 minutos. No primeiro tempo, Dionísio teve boa chance logo aos 8 minutos, enquanto Marcelo, do Bahia de Feira, acertou o próprio travessão. 

Na volta da chuveirada, o Carcará, como diz o lema da torcida, matou e comeu. Logo aos 46 segundos, Thiaguinho recebeu lançamento na entrada da grande área, dominou com estilo e mandou no canto do goleiro Adilson. Golaço e festa da torcida nas arquibancadas de Alagoinhas. Dali pra frente, foi só administrar o resultado e confirmar a vaga na terceira final de forma consecutiva. 

No Eliel Martins, em Riachão do Jacuípe, o clima era tenso, afinal, os dois clubes haviam empatado o confronto de ida sem gols. Era só vencer e avançar pra final. 

O início do jogo do Barcelona foi melhor, porém o Jacuipense conseguiu abrir o placar aos 29 minutos de bola rolando. O atacante Welder carregou a redonda e arriscou o chute de longe. A bomba entrou no canto do goleiro Lupitinha, que não alcançou. 

No segundo tempo, o Barça foi para o tudo ou nada e tentou pressionar os donos da casa. Por sua vez, o Jacupa buscava tocar a bola para o tempo passar. Na melhor chance, Jeferson acertou o travessão e por pouco não ampliou o placar. Estava de bom tamanho e o Leão do Sisal se garantiu na decisão. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas