Ator que interpretou ‘Cabeção’ fala sobre vício em álcool e negação de internação

em alta
18.04.2022, 10:29:47
(Reprodução/TV Record/TV Globo )

Ator que interpretou ‘Cabeção’ fala sobre vício em álcool e negação de internação

Explicou que usava o álcool como escape da realidade

O ator Sérgio Hondjakoff, de 37 anos, abriu o jogo sobre o tratamento contra o vício em álcool. Na juventude, ele ganhou notoriedade ao interpretar o personagem “Cabeção” no folhetim Malhação, da TV Globo. Oito meses depois de ter negado a internação em uma clínica de reabilitação, ele explicou o motivo. 

"Buscava um momento de paz comigo mesmo. Se eu ficasse na casa do meu pai, teria vontade de beber de novo... Neguei que estava internado porque fiquei envergonhado com a exposição toda, não soube o que fazer, pensei: 'Vou negar e ver o que acontece'. Queria preservar o meu filho. Só minha mãe, meu pai e a mãe do meu filho sabiam", contou ele, em entrevista ao Domingo Espetacular, na TV Record.

Durante a conversa, o ator comentou a dificuldade do processo de se libertar do vício,  pois usava o álcool como escape da realidade. "Quando você está fazendo o uso de alguma substância e usando isso como fuga, nos momentos em que você está sóbrio, fica pensando em consumir a droga", desabafou. 

Sergio ficou internado em uma clínica de reabilitação que foi fechada pelo Ministério Público após denúncias de maus-tratos. "Não vi nenhuma maldade ou irregularidade, o que pude observar são as condições. Não tem como oferecer uma estrutura mais adequada, mais benéfica”, avaliou.

"Faltavam terapeutas, não tinha funcionários de limpeza, eram condições meio insalubres. Fica uma coisa não tão bacana. Quando acabam as dinâmicas do dia e o cronograma se encerra, é de praxe todo mundo ir pro quarto e ser trancado” detalhou, ao citar a rotina no espaço. 

Durante a conversa, ele contou que tomou uísque no Natal, moderadamente. "Estou em paz, estou tranquilo. No Natal, tomei uma dosezinha de uísque, mas só. Não atrapalhou. É melhor evitar se puder. Quando 'starta' ali, o fim pode ser desastroso, é meio complicado", destacou. Sergio revelou que deseja voltar a atuar e tem o sonho de “conseguir decorar os textos”. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas